Como cumprir o propósito de Deus

Grande e extensa é a obra, e nós estamos no muro, longe uns dos outros; em qualquer lugar que ouvirdes o som da trombeta, ali vos ajuntareis conosco. O nosso Deus pelejará por nós.

O livro de Neemias mostra que não é necessária uma visão ou uma voz do céu para se começar algum trabalho para o Senhor. A maioria das pessoas passa a vida toda esperando uma revelação de Deus para fazer a obra. Neemias usou sua mente, seu corpo e seu coração para o bem da obra de Deus sem, contudo, ter tido uma revelação divina.

A Bíblia relata que Neemias recebeu informação sobre a ruína de Jerusalém, lamentou a situação, orou e jejuou perante Deus e tomou providências para liderar a reedificação da cidade. Deus lhe orientou e lhe permitiu ser comissionado pelo rei Artaxerxes da Pérsia, cujo apoio foi necessário para a execução dos planos de Neemias.

Os obstáculos eram enormes: os muros, os portões queimados, os inimigos declarados, os traidores infiltrados e o povo abatido e desanimado, vivendo graves injustiças sociais e, principalmente, expressando uma queda espiritual. Contudo, o ponto de partida para a reconstrução dos muros e dos portões era a busca da unidade e da cooperação. Tal busca seria o início da reconstrução do caráter, da cidadania, do orgulho nacional, da justiça social e de um elevado nível espiritual.

Neemias precisava vencer o sentimento de desunião do seu povo, mostrando a necessidade de trabalhar em cooperação e de obedecer aos toques de comando nos momentos decisivos, pois só Deus pelejaria por eles. O povo atendeu a exortação do seu líder. Desse modo puderam ver reconstruídos os muros e os portões e sanados os outros pontos falhos. E tudo isto foi pela unidade vivida pelo povo de Deus, em atenção ao chamamento de Neemias.

Este exemplo, dentre tantos outros encontrados nas Escrituras Sagradas, deve nos despertar e encorajar a tomar iniciativa para as ações de solidariedade. Temos também uma grande e extensa obra a realizar, a começar dentro de nós mesmos e de nossa família, na nossa igreja, no ambiente de trabalho e na sociedade onde vivemos.

Antes de pensarmos em realizar qualquer trabalho, é necessário percebermos qual é o propósito de Deus. A partir daí, para se cumprir este propósito, é imprescindível que tenhamos as características de um verdadeiro líder. Então surgem algumas perguntas: O que Deus quer de mim? Como posso fazer os planos para atingir o propósito de Deus? Como executar os planos elaborados?

Para entendermos melhor os quatro primeiros versículos do livro de Neemias, suponhamos que certo homem de Deus trabalha em Brasília junto ao Governo Federal. Esse homem tem um cargo importante na Presidência e representa uma pequena cidade. Certo dia, chega à Brasília um conterrâneo dele a quem ele pergunta: “Como está a nossa cidade? Como está o nosso povo?” Ele está preocupado com o povo e com a cidade dele. Assim age Neemias. E a resposta que este homem de Deus recebeu foi mais ou menos assim: “Tudo vai mal, muito mal! A cidade está destruída, as pontes caíram, vários prédios foram incendiados, os líderes estão desanimados e não há recursos para se fazer nada.”

Qual seria a reação deste homem de Deus ao receber tal notícia? A reação de Neemias foi natural à de um líder comprometido com o povo. Assim que ouviu todo aquele relato, não conseguiu se manter em pé, assentou-se e começou a chorar. Também jejuou e orou por vários dias dizendo: “Senhor, ajuda-nos! Ajuda-nos Senhor!” Esta é a situação inicial em que Neemias se encontrava (Ne 1:1-4). A partir daí, nos capítulos 1, 2 e 3, para solucionar aquela situação, ele adota alguns passos que podem ser aplicados em qualquer organização.

FAZER UM LEVANTAMENTO DAS NECESSIDADES

Em primeiro lugar, Neemias se informou sobre a real situação: os muros derribados, as portas queimadas a fogo e as pessoas tristes e desanimadas. Neste caso, observamos duas necessidades principais: os muros e as pessoas. Sua oração começa com louvor: Grande, forte e temível és Tu ó Deus! (Ne 1:5) e segue com uma confissão (v.6). Como ele poderia confessar os pecados de Israel sendo que ele não estava lá? A resposta é identificação. Muitas vezes se ouvem nas igrejas acusações e críticas destrutivas. Apontamos o dedo para as pessoas que fracassam na fé e dizemos: “Olha aquele irmão, ele era tão abençoado! Vejam como ele está agora. Ele traiu o Senhor Jesus!” Esse dedo, porém, deveria estar apontado para nós. Nossa omissão e falta de identificação com nossos irmãos nos torna tão errados quanto eles. Neemias foi um grande líder que se identificou com o povo.

Neemias, como copeiro, tinha acesso à sala do rei; então ele entra e fala: “Estou muito triste!” O rei lhe pergunta: “O que se passa?” Neemias conta a história ao rei e este lhe faz outra pergunta: “Que queres que eu faça?” (aqui Deus está agindo, por causa da oração contínua). O que Neemias faz? Neste momento ele ora (v.4). Ele não pede licença ao rei para se retirar e orar. Creio que com os olhos abertos, ali mesmo na presença do rei, ele envia um telegrama ao Céu e diz: “Ajuda-me, Senhor!” É maravilhoso ver, no livro de Neemias, uma oração contínua, a cada momento. O rei pergunta: “Que queres que eu faça?” Neemias ora: “Ó Deus, ajuda-me!” Depois ele diz: “Senhor rei, necessitamos de ajuda!” “Que tipo de ajuda?” – pergunta o rei. Neemias fala dos alvos que são levantar os muros e trazer a alegria de volta para o povo.

ORAR E ESTABELECER ALVOS

Muitas pessoas são mais orientadas para a ação; por isso tentam planejar todas as coisas que querem fazer no futuro e se concentram na sua execução; desejam sempre iniciar, empreender, terminar a tarefa, vencer. Portanto, para essas pessoas, é natural e fácil primeiro estabelecerem seus alvos e, somente depois, chegarem a Deus pedindo-Lhe que abençoe o que já se decidiram a fazer, quando o certo seria orar primeiro pedindo-Lhe a sabedoria.

John White, ao estudar o livro de Neemias, chega às seguintes conclusões: “A oração está onde o planejamento começa. Nosso primeiro objetivo na oração não deve ser o de receber recurso de poder, mas o de descobrir a vontade de Deus. O planejamento revelado como produto da oração é muito superior ao que é simplesmente apoiado pela oração. O plano, que é de Deus, que é revelado por Ele aos que nele esperam, é um plano que não pode falhar. A eficiência real vem de esperar em Deus. Se o plano não for de Deus no primeiro instante, nenhuma quantidade de oração trará resultados que contam para a eternidade. Talvez funcione, isto é, pode atingir os alvos que os organizadores estão tentando alcançar; se, porém, os alvos não são os de Deus, qual é o valor em ter-se conseguido alcançá-los?”

Neemias traçou um plano. Ele pediu tudo o que precisava e o rei lhe condedeu. Por que o rei lhe foi tão favorável? Eis a resposta: Porque a boa mão do meu Deus era comigo. (Ne 1:8). Esta frase nos empolga muito. O rei pensava que estava contribuindo muito, mas Neemias sabia que aquela ajuda vinha de Deus. No capítulo 2:11-16, Neemias está traçando os planos. Ele vai até a cidade para verificar a realidade da situação. Nessa viagem, ele está observando todas as coisas, está fazendo planos, buscando encontrar meios e metas que possam ajudar na construção dos muros. Está pensando em como deve agir.

Neemias precisava de recursos humanos. Estes são os elementos mais importantes dentro do planejamento. A chave que abre a porta do sucesso é encontrar cooperadores que sejam: Fiéis (a Deus e à Sua Palavra; ao líder e à sua missão); Ensináveis (que não julgam saber tudo, mas reconhecem a necessidade de aprender sempre mais) e Disponíveis (prontos e dispostos a fazer o máximo para o sucesso da missão). Sobretudo, as pessoas que irão cooperar no cumprimento do propósito de Deus devem ter um coração de servo. Nisto, o caráter é mais importante do que as atividades – os valores e as atitudes do crente, as quais refletem Cristo em tudo quanto ele é ou faz. Portanto, mais do que energia física ou intelectual, precisamos do poder sobrenatural de Deus.

COORDENAR O TRABALHO

Neemias organiza as pessoas, faz uma descrição objetiva das tarefas de cada ajudante, nomeia um especialista para cada atividade e delega autoridade (Ne 11:20-23) para executarem o trabalho (liderança pluralista: o líder não é o detentor único do poder mas delega autoridade aos seus liderados). Assim, temos uma lista com muitos nomes de pessoas que cooperaram com ele: o sumo sacerdote, um perfumista, um governador da região de Jerusalém (aí está um político trabalhando duro), outro governador e as suas filhas, os levitas, os sacerdotes, (Ne 3:1-28). Além disso, atento e participativo, Neemias trabalhou junto com toda a equipe, orientando e coordenando cada tarefa.

Hoje, nas empresas ou no trabalho do Senhor, o papel não é diferente. Ao se contratar um novo funcionário, faz parte do seu treinamento inicial saber sobre a missão da empresa e, a partir daí, ser-lhe-á exigido o cumprimento dela. Depois, sua função lhe é repassada, detalhando as tarefas a serem desenvolvidas. Assim, seu desempenho é infinitamente maior e melhor. Nenhum líder pode fazer a obra de Deus sozinho. O pastor, por exemplo, não é o responsável por toda pregação, ensino e oração pelos enfermos, por ministração aos enlutados, por visitas aos membros inativos nem pela busca dos perdidos. Mesmo que ele pudesse cumprir todas estas funções, estaria impedindo os outros de também cooperar na obra de Deus e de desenvolver os seus talentos. Todo cristão é um ministro (1 Pd 2:9). O chamado para ministrar vem junto com o chamado para a salvação e é individual. Cada cristão prestará contas de seu trabalho para Deus.

SABER LIDAR COM AS DIFICULDADES

Em todo empreendimento secular, principalmente dirigido para Deus, teremos os empecilhos, as intimidações e os que apontam dificuldades. Assim foi com Neemias (Ne 4 – 6). Para impedir a obra, o inimigo passa a lançar mão de armadilhas e de subversão, usando os seguintes métodos: escárnio (Ne 4:1-3), agressão física (Ne 4:8), esgotamento pelo cansaço (Ne 4:10), depressão (Ne 5:1-5), boatos malignos (Ne 6:5-8), falsos profetas e terror (Ne 6:10-14), subversão em laços familiares (Ne 6:17-19). Neemias venceu as ameaças de ataque, tomando sábias medidas defensivas (Ne 4:1-23), corrigiu a desunião interna, enfrentando francamente o problema e dando exemplo pessoal (Ne 5:1-19), e reprimiu as acusações falsas mediante o discernimento e a coragem (Ne 6:1-14).

O resultado do planejamento de Neemias foi o cumprimento do propósito de Deus através de sua vida: Em cinqüenta e dois dias terminaram todo o projeto (Ne 6:15). Com a ajuda de Deus e com a participação de cada pessoa, terminaram a obra da reconstrução dos muros. Um milagre? Não! O segredo consistiu no Planejamento, na Disciplina e na Organização. Portanto, para cumprirmos o propósito de Deus, é preciso perceber as necessidades (cap. 1), estabelecer os alvos (cap. 2) e coordenar o trabalho (cap. 3 a 6).

O livro de Neemias demonstra, sobretudo, a necessidade de oração e de firmeza nos compromissos.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião