Culpado: o que fazer?

“Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim. E chamou o SENHOR Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás? Ele respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi”. Genesis 3:8-10
Você se sente culpado por algo? Alguém te responsabiliza por algo?
Existe algo na sua vida que você gostaria de ter evitado? Você carrega um sentimento de culpa?
A ciência tem avançado no estudo das doenças psicossomáticas – Alma e corpo. Se a alma do homem fosse plenamente sadia o corpo também o seria. Como se manifestam as doenças da alma: O medo, o ódio, amargura, culpa. Deus fez o homem para que este fosse livre. (Ele não quer que você se sinta preso por nada, nem por ninguém). “Se o Filho vos libertar…”. Ele desejou ser o único Senhor do homem.

Características de quem está atingido por uma doença psicossomática – somática:
a) Têm dificuldade para se afirmar (sua performance é sempre abaixo do que poderia)
b) Têm dificuldades de relacionamentos;
c) Sente-se isolado(a);
d) Têm medo da rejeição;
e) É áspero, duro, agressivo, arrogante (foge de um sentimento de inferioridade).
Culpa é a percepção de que uma coisa não foi o que deveria ter sido.

A palavra grega para pecado é Harmartia – Errar o alvo. Quando nos desviamos do alvo de Deus sentimos o que fizemos o que não deveríamos ter feito. Como essa culpa se manifesta?
Lembremos que tudo era perfeito. Tudo estava em sintonia com Deus, inclusive o homem e a mulher. Um dia o homem e a mulher não se encontravam no jardim como era costume. O encontro com Deus. A Bíblia diz que Deus procurou pelo homem, perguntando: Onde estás?
O MEDO E A CULPA ANDAM JUNTOS. COMPANHEIROS INSEPARÁVEIS. A CULPA TRAZ O MEDO. NADA PODE TORNAR UMA PESSOA MAIS INSEGURA QUE O SENTIMENTO DE CULPA.
Por exemplo: Um casal de namorados: Aquela sensação de que encontrou a pessoa certa. Uma grande comemoração. Que benção. Encontrei.
Passados os primeiros meses, o namoro descamba para a permissividade, licenciosidade, liberdade excessiva. Aquela beleza vai embora, aquela alegria já não existe mais. A moça pensa: será que esse sujeito me ama mesmo ou está querendo se aproveitar de mim?
O rapaz pensa: será que eu sou o primeiro nesta história? Ou será que isso é de longo tempo? A insegurança e o medo começam a aparecer. Um ciúme descomunal toma conta dos dois, as agressões surgem.
Aonde vai a culpa vai o medo. Pela primeira vez o homem estava sentindo culpa e medo. “Tive medo”. A cobrança da culpa é o medo.
Você fica inseguro. Entra num avião, anda de ônibus, sai de carro, o que acontecer. Vai para a igreja: será que alguém vai contar o meu pecado? Não têm coragem de encarar a situação. Trabalha demais, dorme tarde, para que os pensamentos não respondam a pergunta: Onde estás? Ele anda a nossa procura. Quando não estamos bem com Ele ao invés dessa voz ser um alento, se torna um incômodo.
O que o homem tentou fazer para solucionar o problema da culpa?
1) Tentou esconder seu pecado. Ouvi tua voz… me escondi. Quantas pessoas entram nesse processo.
Que ninguém nunca saiba disso – dizem alguns. A Bíblia diz: sentirá o vosso pecado quando ele vos achar.

2) Tentou negar a gravidade do seu pecado
Ele responde, mas não fala que pecou. Não disse o principal. Tem gente que quando peca acha que tudo vai desabar. Mas não desaba e ai continua. Mas a justiça de Deus não se manifesta imediatamente.
“Dei-lhe tempo para que se arrependesse”. Quando não aproveitamos o tempo que ele nos dá, o juízo vem. O pecado destrói o nosso relacionamento com Deus e nós precisamos identificá-lo um a um.
Porque Deus não aceita desculpas ele quer confissão.

3) Tentou responsabilizar outros pelo seu pecado
Deus fala: Comeste da árvore? O homem se desculpa dizendo que a mulher arrumou amizade com uma serpente. Eu nunca ouvir dizer que uma serpente levasse ninguém a fazer coisa alguma. Mas como ela comeu, eu comi. Nossa tendência é sempre se justificar.
O homem tenta até acusar a Deus: A mulher que tu me deste. Quando a culpa bate se diz: a casa é do lado.
Muitas pessoas dizem, outros pensam: eu não sou culpado do jeito que sou. Deus chamou a mulher: O que você fez? Eu? A culpa é da serpente. Ninguém é tentado além das forças. O homem tentou esconder-se, resolveu? Tentou negar a gravidade, resolveu? Tentou responsabilizar outros, resolveu? Tentou culpar o diabo, resolveu?
Tentou lançar a culpa em Deus, resolveu? NÃO.

Você pode estar dizendo: eu assumo a culpa, eu errei e agora? Pv. 28:13 “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará, mas aquele que as confessa e deixa alcançará misericórdia”. Só há uma solução para a culpa, a confissão. Você não terá alegria, paz, prosperidade, autoridade, discernimento, enquanto não colocar as coisas a limpo diante de Deus.
A história da mulher que procurou um pastor: crente, casada, 02 filhos, marido tem um bom salário, sou uma profissional realizada, mas não tenho alegria. O pastor disse: Só há uma explicação, você está se sentindo culpada por alguma coisa. Ela calou, e disse: eu sei o que é. Contou uma longa história que terminou num aborto. Meu pai, mãe, marido, mas este fardo insuportável tem consumido a minha vida. Eles se ajoelharam e ela chorou muito. Depois ela levantou-se e seu rosto era ouro rosto. Agora eu tenho paz e alegria. Profira meu perdão. Passados alguns dias o seu marido foi à igreja e perguntou: o que você fez com minha esposa ela ficou muita diferente? O pastor disse: Jesus tirou o seu fardo. Seu marido disse: se foi bom para ela eu também quero.
Não adianta esconder o seu pecado. Hoje é dia de confissão, de concerto, de confissão.
Deus procurou o homem para aliviá-lo e não acusá-lo. Ele quer que você confesse. Deus diz: vamos começar de novo. Confesse, encare, tudo vai dar certo.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião