Despertas, tu que dormes

Introdução
DISCORRENDO sobre estas palavras, pretendo, -com o auxílio de Deus,
1º— Descrever os adormecidos, a quem as palavras do texto se dirigem;
2º— Corroborar a.exortação — “Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos”; e
3º— Explanar a promessa feita aos que despertam e levantam-se: “Cristo te alumiará”.

I. Descrição dos sonolentos.
1. O estado de insensibilidade natural, trevas, paz ilusória e satisfação própria, decorrente de viciosa exterioridade, ou da errônea profissão da religião de seus pais, ou do farisaísmo ortodoxo, que tem a forma de piedade, mas nega seu poder.
2. Conquanto este estado possa ser altamente estimado pelos homens, ele é denunciado por Jesus Cristo. É um estado de morte, de insensibilidade às coisas espirituais, em que o Espírito de Deus nem conforta, nem convence de pecado.

II. A exortação reforçada.

Pelas ameaças da Palavra de Deus. Pela responsabilidade decorrente da eternidade e do juízo. Pela falta que tem a alma da comunicação do Espírito; a ausência de mudança interior e de uma boa razão para a esperança
da salvação.

III. Exposição da promessa.

Deus é luz. Pela fé recebemos seu Espírito, através do qual “conhecemos as coisas que nos são livremente dadas por Deus”. Este conhecimento experimental da verdade, mediante o Espírito, é o único Cristianismo verdadeiro. Esta comunhão consciente do Espírito Santo é a doutrina da Igreja Inglesa. Lamentando a crescente iniqüidade do país e da Universidade, o pregador conclui com um solene apelo a Deus e à congregação.

Conclusão
Meus irmãos é tempo de despertarmos do sono, antes que “soe a grande trombeta do Senhor” — e nossa terra se transforme em campo de sangue. Oh! Que vejamos rapidamente as coisas que nos possam assegurar a paz, antes que elas se ocultem a nossos olhos! “Volta-te para nós, ó bom Deus, e cesse tua ira.
Ó Senhor, olha dos céus, considera e visita tua vinha”; e faze-nos conhecer “o tempo de nossa visitação”.
“Ajuda-nos, ó Deus de nossa salvação, para glória de teu nome!” Oh! Liberta-nos, e sê misericordioso em face de nossos pecados, por amor de teu nome, e assim não nos afastaremos de ti. Faze-nos viver, e invocaremos o teu nome. Volta-te, Senhor Deus dos Exércitos! Mostra-nos a luz de tua face —e seremos sanados.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião