Deus ou Mamon. A quem você ama?

Introdução
Para Jesus, o direcionamento do nosso amor é fundamental para determinar a quem queremos servir.

1. O que Jesus ensinou no texto?

– Quem quer que seja Mamon, Jesus o coloca numa posição oposta a Deus

– Que servir a um implica excluir o outro

– Que amar a um é excluir ao outro

– Jesus propõe que essa escolha é fundamental para o sucesso nas finanças

2. Quem é Mamon e qual o seu alvo?

– Espírito de Mamon (entidade demoníaca ligada à iniquidade) trabalha especificamente com a área do dinheiro nas pessoas. Ex.: Simão, o mágico

– Essa entidade tem conseguido a adoração dos homens como o deus do dinheiro

3. Como posso saber se estou preso a Mamon?

– Sofro de preocupação e ansiedade sobre dinheiro? Mt 6:25-34

– Não sei para onde foi o dinheiro? Mt 25:14-30

– Incapacidade de resistir ao desejo de comprar (compulsividade) Gl 5:23

– Descontentamento contínuo – Fp 4:11; 1 Tm 6:8

– Servidão a dívidas (escravo do sistema de juros) Rm 13:8

– Desejo excessivo de possuir mais (cobiça) 1 Tm 6:17

– Incapacidade de dizimar (avareza) Lv 27:32

4. Como posso saber se estou livre de Mamon?

– Entrego o dízimo regularmente ao Senhor? Com alegria no coração?

– Tiro ofertas (alçadas) (especiais) para o reino de Deus sem me preocupar se fará falta ou não?

– Sou sensível a toques divinos sobre ajudas específicas a alguém e obedeço a Deus com alegria nessas ocasiões?

– Resisto com certa facilidade aos desejos de comprar algo que, na verdade, não estou precisando?

Conclusão

Amados, levem esse esboço e estude-o em casa na presença de Deus, caso conclua que Mamon tem influência nas suas finanças, arrependa-se. Entregue-se pessoalmente a Deus, confia-lhe toda a área financeira da sua vida. Ele te ama muito e vai libertá-lo de Mamon. Amém.

Fonte: http://www.terceira.org.br/estudos.htm

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião