E depois da oração?

Introdução:

A oração tem 4 estágios: Orar, Confiar, Esperar, Agir. Sabemos lidar com eles?

O capítulo 1 de Neemias mostra aspectos importantes da oração:

1. Como Neemias agiu ao perceber que algo precisava ser feito para solucionar uma situação “aparentemente” impossível.

2. A sua espera pela resposta de Deus e o seu compromisso com a causa pela qual orava.

Essa experiência de Neemias chama a atenção para suas coisas:

1. Desafia-nos para a responsabilidade de uma vida de oração mais intensa.

2. Ensina-nos a respeito da “confiança e esperança”. (Ele orou por 4 meses).

Quando oramos de forma correta e, aparentemente, nada acontece, a atitude do cristão deveria ser de “confiança e esperança”. Estas são as duas armas do cristão que confia no poder da oração: “Confiança e Esperança”.

Podemos não perceber, mas Deus está trabalhando nas melhores estratégias e nas melhores soluções.

I. UMA CONVERSA A “TRÊS” – Depois da oração…

O capítulo 2 de Neemias trata das respostas do Deus que trabalha por nós. Sem que ninguém perceba, algo está acontecendo, enquanto os joelhos estão dobrados em oração.

Quem ouve sobre um fato como este de Neemias poderia dizer: é impossível, desista, isso não vai acontecer jamais.

Por causa desse tipo de visão limitada, muitos realmente recuam, desistem. Às vezes, somos tomados por um sonho, ou uma visão especial que brota em nosso coração e aquece a nossa alma.

A princípio, pensamos até em gastar um tempinho em oração. Mas somos imediatamente levados a desistir, desacreditar.

Neemias não perguntou se seus sonhos eram muito altos. A sua única preocupação era: se Deus quiser fazer algo, eu estou disponível. A conversa acontece num trio: Neemias, o Rei e Deus. Já pensou nisso?

Quando vemos alguém em crise profunda, mas revelando na face uma tranqüilidade incomum, é porque ele está orando. “COMO ESTÁ A SUA FACE?”

Neemias já havia orado. Sabia que Deus estava no negócio. Por isso, sua confiança nessa conversa não estava nas suas habilidades de discursar, mas em sua oração anterior: “Faze com que hoje este teu servo seja bem-sucedido, concedendo-lhe a benevolência deste homem”. (1.11)

Quando você estiver diante de situações difíceis, desista da falsa idéia de que suas próprias habilidades poderão resolver tudo. Deixe que Deus exerça o pleno controle.

II. A GRANDE OPORTUNIDADE

A pergunta do rei foi sobre a grande oportunidade que Neemias esperava! (verso 4)

Quantas oportunidades deixamos passar quando não estamos atentos às portas que Deus abre. Pense nas oportunidades perdidas, porque não gastamos tempo em oração, reflexão e preparo diante de Deus.

Todos nós, cristãos, precisamos pedir orientação a Deus sobre as decisões que precisamos tomar. E deveria ser assim no trabalho, nos negócios, na família, etc. (Sl 50.15; 91.15; Is 62.24).

A resposta ao rei foi objetiva e clara (2.5).

O êxito de Neemias não estava em suas próprias habilidades pessoais, mas no reconhecimento de que a poderosa mão de Deus conduzia a sua história.

III. ORAÇÃO E PLANEJAMENTO – você planeja sua vida?

Para algumas pessoas, não é necessário planejar.

Nenhum processo de organização ou planejamento pode eliminar ou desconsiderar a ação do Espírito Santo. Mas não podemos deixar de avaliar o caráter bíblico da organização e planejamento.

Jesus deu aulas sobre planejamento (Lucas 14.28-30).

Neemias planejou e organizou. Veja a maneira clara e objetiva com que faz suas solicitações ao rei. Ele não improvisou conversa. Ele já tinha em mente um plano (2.7,8).

Nós temos sim, que confiar em Deus para a boa realização da missão, mas é necessário fazermos os planos.

Veja como Neemias fez seu planejamento:

1. Enquanto orava, fazia planos. Neemias tinha uma mente organizada.

2. Planejamento em acordo com Deus. Na verdade, todo planejamento deveria começar na oração, porque nela vamos descobrindo a verdadeira “vontade de Deus”.

Frase: “O planejamento que provém da oração é muito superior ao planejamento que é meramente “sustentado” pela oração”. Há um planejamento que é dado por Deus como estratégia. Eu não preciso orar implorando para Deus manter algo que Ele mesmo planejou!!

3. A presença da boa mão de Deus. O rei concedeu o que Neemias pediu. Mas a condição fundamental para esse acontecimento era: “A boa mão de Deus estava sobre Neemias” (2.8).

Observe se a “Boa Mão de Deus” está sobre a sua vida, sobre seu ministério, sobre seus planos acadêmicos, profissionais e familiares. Então, colha os frutos destas bênçãos.

A chave principal, que abre as portas para a realização e o sucesso de toda missão é: Oração, esperança, preparo (planejamento) e perseverança.

visite www.ilustrar.com.br

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião