Família, lugar de semeadura e colheita

– Com base no Sl. 85.8: “Escutarei o que Deus, o SENHOR, disser, pois falará de paz ao seu povo e aos seus santos; e que jamais caiam em insensatez”, estamos buscando ouvir o nosso Deus nestes dias quanto às diversas áreas de nossa vida. Vivemos dias em que muitas vozes ecoam por todos os lados a respeito dos relacionamentos familiares. Precisamos discernir qual é a vontade de Deus para nossa família, quando muitas estão vivendo momentos de dificuldades
– Há neste texto um princípio espiritual de semeadura e colheita. A nossa vida é regida por este princípio vs. 7: “pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará”. Mas o que isto tem a ver com nossa família? É simples, a família é um lugar de semeadura e colheita, nós semeamos e colhemos todos os dias, e temos a expectativa de uma excelente colheita.
– O que este texto nos ensina sobre esta semeadura e colheita?

1) Precisamos da semente certa
– Quando eu era adolescente, morava em uma casa com um terreno ao lado, onde resolvemos fazer uma horta. O interessante é que quando eu plantava alface, nascia alface, quando plantava cebolinha, nascia cebolinha. Incrível, mas esta lei espiritual funciona. Aquilo que semearmos, vamos colher. O que precisamos então é escolher a semente certa.
– Mesmo que não estejamos percebendo, estamos semeando a todo momento. A pergunta é: o que estamos semeando em nossa casa ou família? Esta palavra tem por objetivo nos ajudar a voltarmos para os valores e princípios da Bíblia. Muitos têm semeado o que o texto chama semeadura da própria carne Gálatas. 5. 19-21: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam”.
– Precisamos optar se vamos semear para o Espírito ou para carne. Se vamos olhar para nosso casamento como aliança que conta com a benção de Deus ou como um contrato onde pode ser desfeito a qualquer momento. Se nossos filhos vão receber limites de amor sendo ensinados no caminho em que devem andar (Pv. 22.6), não sendo levados à ira (Ef. 6.4) ou os deixaremos livres para que decidam o que quiserem, ou o que a televisão ensinar. Nós os levamos à ira quando exigimos deles coisas que nós não estamos vivendo. Muitos filhos estão fora do evangelho hoje, porque não estão vendo mudança de vida nos seus pais. Se vamos fazer como todos (senso comum) ficando e dando pegas até acharmos quem é melhor ou se vamos esperar no Senhor. Se vamos correr atrás do ter abusando do crédito e das dívidas ou se vamos esperar o Maná chegar, se vamos viver “uns aos outros” ou só pensar em nós mesmos
– Devemos semear em santidade, rompendo com o pecado, em oração, declarando as promessas da palavra, dando exemplo, estendendo a mão em horas difíceis, nos alegrando com as vitórias, exortando e disciplinando diante dos erros.
– Apesar de eu nunca ter plantado, em nossa horta nascia sempre uma graminha (tiririca), com uma batatinha na raiz que persistia em aparecer. O diabo já tomou providência em semear em nossa casa toda espécie de erva daninha (Mt. 13. 24-30 parábola do joio e do trigo). Ele não precisa de ajuda para isso. Precisamos é cuidar da nossa semente.

2) Precisamos da atitude certa
– Quando meditava neste texto uma expressão me chamou a atenção o vs. 9: “não nos cansemos de fazer o bem” e um sentimento veio forte ao meu coração. Muitos pais se cansam no meio do caminho, se cansam de fazer o bem aos filhos. Já ouvi frases como: Não tem jeito mesmo…, ou: Vou deixar para lá… Esse menino (a) não vai dar em nada. Muitos maridos se cansam das esposas e esposas de maridos. Jovens se cansam dos estudos, pessoas do trabalho ou ainda do ministério, outros se cansam da própria vida.
– Andamos cansados de muitas coisas, há horas em que queremos desistir, mas Paulo nos exorta que se não desfalecermos (vs. 9), se perseverarmos crendo que Deus está agindo na nossa vida, no tempo certo ceifaremos.
– Manter a atitude de semear na Palavra exige perseverança. Isaías 28. 10 e 13 nos ajuda a entender isto: “Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali…” Muitas vezes temos que ensinar, repetir, e repetir de novo. Falar, uma, duas e muitas vezes. Não temos o direito de nos cansarmos de fazer o bem, se com filhos, cônjuges ou outra pessoa ou área qualquer, porque Deus nunca desiste (ou se cansa) de nós.
Você está cansado, tem pensado em desistir, ou você já desistiu de sua família, trabalho ou ministério? A mensagem para nós é continuem, continuem. Deus quer fortalecer seus braços, sua vida nesta hora.

3) Temos uma colheita certa
– Primeiro precisamos cuidar da semente, depois do trabalho, não podemos parar. Agora temos uma promessa de Deus para nós e nossa família . Quando permitimos que outras sementes sejam plantadas em nossas casas, que não são das que procedem da voz de Deus, colheremos para corrupção (vs.8). Aquele que semeia vento colhe tempestade. Oséias 8.7: “Porque semeiam ventos e segarão tormentas”.
O vs. 9 nos diz que se perseverarmos e não desfalecermos, “a seu tempo ceifaremos”. Nossa família será bendita no Senhor Is. 61.9: “A sua posteridade será conhecida entre as nações, os seus descendentes, no meio dos povos; todos quantos os virem os reconhecerão como família bendita do SENHOR”.
– O problema é que muitas vezes não sabemos esperar o tempo de Deus “a seu tempo”. Quando plantava a semente de alface, todo dia eu ia lá olhar se já havia nascido. Mas era necessário um tempo. Muitas vezes plantamos sementes erradas e ruins e estamos colhendo frutos amargos. Muitas vezes fizemos escolhas erradas e estamos colhendo frutos da carne.
– Precisamos perseverar no plantio da boa semente do evangelho, e esperar a ação do Espírito Santo na nossa vida, de nossos filhos, cônjuges para que a velha colheita se encerre e venha a colheita tão desejada. Deus trabalha pouco a pouco. Sl. 126.6: “Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes.”
– Nesta hora, CREIA que temos uma colheita certa.

Conclusão
– Vimos que a família é lugar de semeadura e colheita. Precisamos plantar a semente certa, ter a atitude certa e espera a colheita certa.
– Em Lucas 6.37 e 38 lemos sobre dar e receber, é o mesmo que plantar e colher uma superabundante colheita.

www.ilustrar.com.br

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião