Funeral ou Festival?

Aparentemente uma pergunta como a do título deste artigo, pode ser ridícula ou pelo menos imprópria. Será que alguém é capaz de confundir um funeral com uma festa ou vice-versa? Normalmente não. Contudo o apóstolo Tiago, escrevendo sobre as características naturais daquele que se declara crente em Jesus, nos alerta para o fato que alguns podem estar celebrando a vida, estando mortos, e achando que estão em festa quando a realidade é a de um funeral.

É importante aprendermos que a ênfase bíblica para a salvação é incontestavelmente a fé em Cristo. Paulo não deixa dúvidas nesta questão. Alguém só é cristão pela fé (Rom.3:28), nossas obras são incapazes de nos trazer vida eterna(Ef. 2:8-9). Por outro lado, a ênfase de Tiago não é a de como ser salvo, e sim de quais são as evidências incontestáveis desta fé que salva, e alguém professa ter.

1. Fé Verbal

A profissão de fé é um ato público onde na igreja, no trabalho, em casa, etc. anunciamos a fé temos em Jesus. Quando alguém declara verbalmente sua fé compromete-se com ela, contudo isto não significa que ela seja verdadeira. O expressar verbal não é a prova de sua autenticidade, é apenas o seu anúncio. Tiago deixa claro que a fé verbal não salva, pois do ensino de Jesus sabemos que a fé verdadeira, antes da fala, sempre gera:

Arrependimento pelos erros cometidos

Decisão de não mais voltar a cometê-los

Desejo de melhorar (santificação)

2. Fé Que Sente e Não Age

Sentir que somos pecadores não é o fator que salva. A fé genuína que gera nova vida, comunhão e poder no Espírito Santo, sente, age e reage. O cristão não é um simples “sensível” às dificuldade dos outros. Não é o fato de se condoer com o problema alheio, que nos caracteriza cristão com fé. É verdade que a fé Dirigida para Jesus, nos tira o coração de pedra, e nos coloca um coração de carne, sensível, porém dá-nos também a mente de Cristo para por ela agir (ICor. 2:16).

3. Fé Sem Obras É Morta

A carta de Tiago é dirigida a pessoas que declaravam sua fé em Jesus. O apóstolo pergunta onde estão, e quais são as evidência da fé que eles declaravam ter. As marcas do evangelho em alguém que é convertido pelo Espírito de Deus, são inconfundíveis. Ao se observar o falar, o vestir, suas amizades, suas atitudes, o cristão se identifica naturalmente com Jesus. A fé que salva transforma nossas mentes de tal maneira que o nosso exterior é remodelado, e assim pelos frutos permitimos que reconheçam o que realmente somos. Ao dizermos que temos fé, é inconcebível não termos frutos desta fé (IICor. 5:17; Gal.5:22). Neste aspecto, Tiago adverte que pode haver alguns, inadvertidamente, celebrando o funeral da fé.

A nossa fé em Cristo é vista no nosso dia-a-dia, através de nossas obras. Há em você amor, alegria, paz, bondade, benignidade, fidelidade, paciência, mansidão e domínio próprio? Estes “sabores de vida” fazem parte do fruto do Espírito gerado em todo aquele cuja fé é viva. Este tipo de gente deve celebrar e se alegrar, pois é a celebração da vida, de alguém que estava morto e reviveu, é verdadeiro festival.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião