Louvor e Música

Introdução: É um momento apropriado a que expressemos a nossa gratidão pela música e pelo estudo da Palavra.

· Achei por bem irmos às Escrituras e verificarmos o que ela tem a nos dizer sobre Louvor e Música.

· O que podemos aprender, nesta noite. O que podemos aplicar dos ensinamentos que a Palavra nos trás sobre esta questão?

· Dentre muitas outras coisas que a Bíblia tem registrado sobre Louvor e Música, gostaria de destacar cinco pontos, para nossa meditação:

I. Música está na constituição do Homem. Gn 4.20-22.
A. Temos aqui uma primeira referência a música logo após o relato da criação. Aparentemente é o registro apenas de um árvore genealógica, sem maiores inferências.

B. Alguém pode também estranhar – “mas esse trecho nos fala da genealogia de Caim. O que podemos aprender com essa linhagem?”

C. Creio que as qualificações das pessoas cujos nomes estão nesses versículos, não foram colocados meramente por “acidente”, mas Deus nos fala algo importante – temos os precursores de três grupos de pessoas:

i. Os agricultores e criadores – os que trabalham e dependem do campo e nele empregam seus talentos e habilidades.

ii. Os artesões e os que trabalham em transformação de metais e outros materiais – poderíamos até classificá-los como trabalhadores na indústria.

iii. Mas a terceira categoria, a representada por Jubal – nos apresenta o precursor dos artistas, dos músicos.

D. Será que não vemos aqui, tão próximo da criação, que o homem é algo mais do que um trabalhador e consumidor de alimentos e artefatos? Dá para entender que o homem também exerce suas atividades em outra área além da física e material?

E. Não somente deste texto, mas de várias outras diretrizes da Palavra, vemos que as artes e, mais especificamente, a música são áreas legítimas e comandadas por Deus, para que as adentremos para sua glória – em cumprimento ao mandato cultural de Gn. 1.28.

F. Música – algo essencial às necessidades do homem total. O fato de que esta linhagem (de Caim) está fora da linhagem do Povo de Deus (representada por Sete) mostra a Graça Comum de Deus, possibilitando desenvolvimento em todas as áreas, também aos descrentes.

G. Deus providenciou em seu amor a habilidade dele exercer seus dons, de criar, de cantar.

II. O Louvor é uma ordem de Deus à sua Criação
A. Salmo 98.8 – rios, montes.

B. Salmo 96.11, 12 – céus, terra, mar; campos, árvore, bosque.

C. Salmo 103.22 – todas as suas obras.

D. Temos, na Palavra, várias expressões metafóricas que expressam o que Deus ordena e deseja.
E. Se Deus assim ordena e se dirige à criação inanimada, quanto mais a nós, criaturas inteligentes que ele colocou nesta criação?

III. O Louvor pela Música é uma ordem de Deus ao Homem.
A. Salmo 30.4 – característica dos redimidos.

B. Salmo 33.1-3 – musicalidade instrumental. Arte: qualidade, precisão, ensaio, beleza (estética) auditiva. Júbilo: envolvimento, entusiasmo, intensidade, alegria – o contrário de tristeza e apatia, de “fazer só por dever”!

C. Salmo 66.1-2 – o chamado e a ordem é emitido a toda a terra.

D. Jeremias 20.13 – os livramentos do Senhor são ocasiões de cânticos.

E. O ponto focal desta adoração é Deus.

F. Moisés estava tão envolvido em adoração que ele disse (Ex 15.2): “o Senhor é a minha força e o meu cântico…”.

IV. Música não é apenas para Deus, mas de Deus.
A. Um dom, uma dádiva – Salmo 40.3 – fonte de testemunho.

B. João Calvino: “Todas as artes procedem de Deus e devem ser consideradas como invenções divinas. Entre outras coisas apropriadas à recreação e deleite do homem, a música é a principal, ou, pelo menos, uma destas. Devemos considerá-la como um dom de Deus destinado a este propósito”.

C. Martinho Lutero: “A música deve ser considerada (em beleza) apenas abaixo da Palavra de Deus, porque por ela todas as emoções são influenciadas… Quando a música natural é aguçada e polida pela arte, então as pessoas podem sentir, maravilhadas, a grande e perfeita sabedoria de Deus, neste estupendo trabalho da música… Aquele que não vê nisso um expressivo milagre de Deus, verdadeiramente tem a mente fechada e não é digno de ser considerado um homem…”

V. Na adoração a Deus, a música deve servir como veículo de comunicação.
A. A beleza estética não se sobrepõe à necessidade de transmitir uma mensagem.

B. Nós, cristãos, somos essencialmente transmissores da mensagem de salvação e livramento, da parte de Deus, e de suas obras, ao mundo.

C. No culto a Deus pela música, as palavras, a letra, a mensagem – são de importância cabal.

D. Tiago 5.13 – manifestação e comunicação de alegria.

E. Efésios 5.19 – “falando entre vós” – não devemos estranhar que esta admoestação esteja no meio do mandamento para entoarmos músicas, se elas realmente transmitem mensagens.

F. Colossenses 3.16 – a passagem paralela. A admoestação a louvar pela música está logo após “instruí-vos e aconselhai-vos”. Como? Pela mensagem da música.

Conclusão
· Vemos que as Escrituras estão cheias de ensinamentos que colocam a música e o louvor dentro de uma perspectiva correta.

· A ênfase é sempre na glorificação a Deus.

· Acolhermos essa expressão da criatividade humana no louvor e adoração a Deus, é uma atitude apropriada e que agrada a Ele. Ele assim nos comanda.

· Dar graças a Deus, pelos 39 anos do coral, pelos talentos e vidas que têm se esmerado no serviço a Deus, pela música, eleva nossos pensamentos a ele e faz com que nos esforcemos, cada vez mais para trilhar nossos passos da maneira como ele deseja.

· Que ele, em sua infinita bondade e misericórdia, possibilite muitos anos à frente de louvor incessante à sua pessoa e aos seus feitos.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião