A Mensagem da Salvação: O Arrependimento

Nesse sermão vamos aprender um pouco mais sobre a salvação e o Arrependimento
Texto: At. 3.19

Introdução:

– Um dos versículos mais completos na Bíblia sobre a salvação, que mostra os passos dados para alcançá-la é esse que nós lemos.

Primeiro o homem se arrepende dos seus pecados, segundo ele se converte a Deus, terceiro ele tem os seus pecados perdoados, e quarto ele alcança o refrigério em seu coração pela presença do Senhor.

Não existe salvação sem arrependimento. Pois é um elemento vital da fé salvadora.

– A palavra grega para o arrependimento é metanoia, significa literalmente “reflexão posterior” ou “mudança de mente”.

– No sentido usado por Jesus, o arrependimento é um chamado a repudiar a velha vida e voltar para Deus para ser salvo.

– Alguém definiu arrependimento como a verdadeira tristeza sobre o pecado, incluindo um esforço sincero para abandoná-lo.

– Resumindo: “Sentir tristeza a ponto de deixar o pecado”.

 

É nesse contexto que Paulo descreve o arrependimento dos tessalonicenses.

I Ts.1.9: Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir ao Deus vivo e verdadeiro.

– No arrependimento dos tessalonicenses houve três elementos: Voltar-se para Deus; abandonar o erro; propor-se a servir a Deus.

– A verdadeira mudança de mente ira necessariamente resultar numa mudança de comportamento.

– O arrependimento também não é mera obra humana.

– Como todo elemento da redenção, é um dom de Deus, que nos é graciosamente concedido.

 

At. 11.18: E, ouvindo estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade, até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida.

– É Deus que nos concede a virtude do arrependimento para alcançarmos a salvação.

II Tm. 2.25: Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se, porventura, Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade.

– Se Deus não der o arrependimento ao homem ele não conhecerá a verdade da salvação.

 

I- O Arrependimento Genuíno Envolve o Intelecto, as Emoções e a Vontade.

São três elementos que constituem o arrependimento segundo as Escrituras.

 

1- O Intelecto

Intelectualmente, o arrependimento começa com o reconhecimento do pecado, com a compreensão de que somos pecadores, de que o nosso pecado é uma afronta a Deus.

– Podemos ilustrá-lo da seguinte maneira: O viajante descobre estar viajando no trem errado. Esse conhecimento corresponde ao elemento intelectual pelo qual a pessoa compreende, mediante a pregação da Palavra, que não está em harmonia com Deus.

2- A Emoção.

Emocionalmente, o arrependimento genuíno geralmente é acompanhado de uma profunda tristeza.

II Co. 7.10: Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende, mas a tristeza do mundo opera a morte.

– É difícil imaginar arrependimento verdadeiro sem que este inclua ao menos uma parcela de tristeza.

– Podemos ilustrá-lo da seguinte maneira: O viajante fica perturbado com a descoberta que pegou o trem errado, e vem uma tristeza pelo ocorrido.

3- A Vontade.

Volitivamente, o arrependimento inclui mudança de direção, transformação da vontade.

– Constitui-se no desejo de abandonar o pecado e submeter à vontade de Cristo.

– Podemos ilustrá-lo da seguinte maneira: Na primeira oportunidade o viajante deixa esse trem e embarca no trem certo.

– Isso ilustra o lado prático do arrependimento, que significa uma “meia-volta”.

– O arrependimento genuíno altera o caráter do homem em seu todo.

– O verdadeiro arrependimento irá resultar inevitavelmente numa mudança de comportamento.

– Onde não há mudança visível de conduta, não se pode confiar que haja ocorrido arrependimento.

 

II- Arrependimento é Deixar o Pecado.

Mt. 3.8: Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento.

– Aquele que se arrependi verdadeiramente demonstra isto na prática através de seus frutos; abandona o pecado.

Há Cinco Coisas Que Fluem do Verdadeiro Arrependimento:

 

1- Convicção.

Quando um homem não está profundamente convicto de seus pecados, é um sinal bem certo de que ainda não se arrependeu de verdade.

– Se um homem confessa ser convertido sem reconhecer a atrocidade de seus pecados, provavelmente se transformará num ouvinte endurecido que não irá muito longe.

– Na primeira onda de perseguição, no primeiro sopro de oposição, serão carregados de volta para o mundo.

– Para que haja arrependimento de verdade é preciso haver a plena convicção do pecado.

– Até que a convicção do pecado não esteja inteiramente em nosso coração, não podemos encontrar o Salvador.

– Há três coisas que nos levam à convicção:

a) A Consciência.

– A nossa consciência nos alerta a respeito dos nossos pecados.

b) A Palavra de Deus.

– A Palavra de Deus nos mostra o certo e o errado para que possamos corrigir.

c) O Espírito Santo.

Jo. 16.8: E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo.

– Esta convicção é operada pelo Espírito Santo na vida do pecador.

– Precisamos do Espírito Santo agindo em nossa consciência.

– Todos os três são usados por Deus.

 

2- Contrição.

– É um profundo sentimento de tristeza segundo Deus e humilhação de coração por causa do pecado.

– Se não houver verdadeira contrição, o homem voltará direto para o seu velho pecado.

– No Velho Testamento o arrependimento era demonstrado por meio de saco e cinza, símbolo de luto.

Dn. 9.3: E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para buscar com oração e rogos, com jejum, saco e cinza.

– O que Deus quer é contrição, e se não houver contrição, não há arrependimento completo.

Sl. 34.18: Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os contritos de espírito.

– Muitos pecadores lamentam por seus pecados, mas não tem uma contrição por eles.

– Só lamentar pelos pecados é insuficiente para alcançar o perdão de Deus, precisa haver contrição.

 

3- Confissão de Pecado.

Se tivermos verdadeira contrição, ela nos levará a confessarmos nossos pecados.

– A confissão de pecados é necessária e precisa para se alcançar o perdão de Deus.

– A confissão de pecados é um ato feito pelo pecador do seu coração perante Deus.

– Além de reconhecer o pecado é preciso confessá-lo a Deus.

Pv. 28.13: O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.

– A confissão de pecados a Deus é uma grande fonte de alívio para o transgressor.

 

– Quem confessa recebe alivio.

– Quem confessa alcança refrigério.

– Quem confessa atinge o ápice do arrependimento.

– Quem confessa alcança a paz.

 

Tempo não apaga pecado; leitura de Bíblia não apaga pecado; frequentar os cultos da igreja não apaga pecado.

– Precisa haver um arrependimento verdadeiro; precisa haver contrição; precisa haver confissão do pecado perante Deus, para se alcançar o perdão.

I Jo. 1.9: Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.

– Deus é misericordioso para perdoar a qualquer que lhe chega para confessar o seu pecado.

– Deus é amor, e está pronto a perdoar a qualquer que se arrepende e lhe confessa o seu pecado.

 

Is. 1.18: Vinde, então, e arguí-me, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.

– Não deixe nenhuma nuvem entre você e Deus.

– Se há algum pecado em sua vida, resolva confessá-lo, e seja perdoado.

 

4- Conversão.

A confissão leva à verdadeira conversão, e não pode haver uma verdadeira conversão, até que se tenha dado esses três passos.

– No versículo de Atos 3.19 diz: Arrependei-vos e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados.

– Certo teólogo disse: “Todos nós nascemos de costas para Deus. O arrependimento é uma mudança de trajetória. É uma volta de cento e oitenta graus”.

– Pecado é afastar-se de Deus.

– Quando há verdadeira conversão, o coração fica liberto do pecado.

Rm. 6.22: Mas agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.

– A conversão transforma totalmente o pecador e o faz virar as costas para o pecado.

– O que antes nós amávamos passamos a odiar, e o que odiávamos passamos a amar.

– Só a conversão é capaz de fazer isso na vida do pecador.

– A conversão é um ato divino operado pelo Espírito Santo na vida do homem.

 

Ef. 2.8: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.

– A salvação é dom de Deus para o homem.

– Quando o pecador se converte tudo se torna novo em sua vida. Seus pecados são perdoados, ele se reveste do novo homem e começa e ver a vida com outros olhos.

– Prestemos atenção a chamada de Deus para o seu povo.

II Cr. 7.14: E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.

– Voltemos ao Senhor, e Ele terá misericórdia de nós, porque Ele perdoará.

– Confissão de Cristo.

 

– Se a pessoa se converte, o próximo passo é confessar isso abertamente.

Rm. 10.9,10: A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo.

Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.

– A confissão de Cristo é o clímax da obra de verdadeiro arrependimento.

– É um ato público que demonstra a conversão do pecador.

– Devemos isso ao mundo, aos nossos semelhantes cristãos e a nós mesmos.

– Ele morreu para nos redimir e não podemos estar envergonhados ou com medo de confessá-lo.

 

Lc. 9.26: Porque qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do homem, quando vier na sua glória e na do Pai e dos santos anjos.

– A confissão de Cristo publicamente revela a total aceitação do Senhor pelo pecador.

– As pessoas conheciam Zaqueu a aceitação dele teve um peso na sociedade muito grande.

– Mateus era um publicano, quando recebeu Jesus em sua casa e o aceitou, confundiu os seus colegas de profissão.

– Maria Madalena atraiu muitas pessoas até Jesus pela mudança que houve na sua vida, pelos que a conheciam.

– A mulher samaritana atraiu uma cidade inteira para Jesus, pelo seu testemunho de mudança de vida que deu, após o seu encontro com Jesus.

 

Conclusão:

 

– A salvação é o bem mais precioso que o homem pode adquirir, mas para alcançá-la precisa passar pelo arrependimento.

– Não dá para cortar caminho para alcançar a salvação.

– Os meios de Deus ainda são os mesmos.

– É preciso arrepender-se e converter-se para ser salvo.

– O céu não é para todos; o céu é para os humildes.

 

Autor: Pr Silvano Doblinski

Visite: http://www.ejesus.com.br

 

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

There is one comment

Contribua com sua opinião