O Céu pode Esperar

Mateus 17.1-8; 14-21

Introdução:
A experiência de Paulo em Filipenses 1 – Morrer ou viver.

Transição:
Duas experiências dos discípulos nos ensinam lições preciosas que nos ajudam a viver na terra enqunto o céu não chega.

1. Quando o nosso bom não é o bom de Deus
a) Alguns discípulos experimentam um pedacinho do céu
b) “Bom estarmos aqui”
c) Não experimentaram um pedaço do céu para o próprio benefício, mas para ouvirem a mensagem da obediência:
i) Este é o meu Filho Amado, em quem eu tenho prazer
ii) Obedeça ao meu Filho
d) Quando o nosso bom não é o bom de Deus, ele corrige a nossa perspectiva e nos ensina a não temer.

2. Quando o nosso ruim é o bom de Deus
a) Enquanto isso outros discípulos experimentam o sabor do fracasso
b) Um homem apresenta a Jesus o filho que sofre de uma enfermidade
c) “Apresentei aos teus discípulos, e eles não puderam fazer nada”
d) Não experimentaram o fracasso para a prostração espiritual, mas para ouvirem os ensinos de Jesus
i) Os demônios não foram expulsos por causa da pequenez da fé
ii) Transportar os montes – montes simboliza as dificuldades
e) Quando o nosso ruim é o bom de Deus, ele nos ensina a exercitar a nossa fé ao seu limite máximo

3. Vivemos nestes dois intervalos
a) No ideal do céu – bom estarmos aqui
i) Experimentaremo a glória da presença de Jesus e todos os santos da história da Bíblia
b) No real da terra – eles não puderam fazer nada
i) Experimentamos sofrimento e lutas
ii) Experimentamos, todavia, o impossível de Deus se tivermos coragem de praticar a nossa fé.
iii) Fé do tamanho de um grão de mostarda – pode crescer.

Conclusão
1. A Cruz vem antes da Glória
2. Somente aqueles que passam pela cruz do calvário experimentarão a glória do Céu.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião