O encontro de Jesus com Pedro

Neste sermão vamos aprender sobre o encontro de Jesus com Pedro

João 6.60-71

A geração dos anos 60 e 70 foi por demais rebelde e sempre procurou uma resposta para o significado da existência. Em agosto de 1969, houve o Festival de Música Woodstock nos EUA e dias depois houve na Inglaterra. Este foi um evento marcado por inúmeras tragédias, como por exemplo: os jovens atraídos pela música de Jimi Hendrix foram parar no hospital por causa do uso de LSD.
Havia 200.000 jovens que deliravam, que berravam. Cinqüenta mil almoçaram cigarros de maconha, a maioria jantou cápsulas de LSD. Trinta mil foram hospitalizados por causa do excesso de drogas. No festival dos EUA, os 200.000 jovens dançaram nus, três pessoas morreram e duas crianças nasceram durante a baderna.
Diante de tudo isto, nesta geração, havia uma busca pelo significado da vida. Só que nas drogas exageradas, na bagunça e no sexo, eles não encontraram o significado para a existência da vida. E João neste texto, mostra-nos qual é o único vivificador da vida de um homem, o único que conduz-nos ao Pai, leva-nos até ao Pai, o único que pode satisfazer o vazio do coração trazendo esperança, alegria, paz e consolo.

– Contexto:

Nesta parte final do texto, é descrito o impacto todo negativo que o discurso proferido por Jesus sobre o fato dele ser o pão da vida e que ninguém pode ir ao Pai se não for através dele que é o pão vivo que desceu do céu. Estas palavras ecoaram de maneira muito negativa para os ouvintes de Jesus tanto que eles disseram: Duro é este discurso, quem o pode ouvir?”
Eles entenderam o discurso de Jesus num sentido totalmente humano, tanto que lembraram-se de Jesus somente com o filho José e Maria, o pobre carpinteiro de Nazaré.
Assim, Jesus vendo o escandalizar dos seus seguidores continuará falando as questões espirituais do Reino de Deus. E mostrará que ele é o Filho do Deus vivo e que ninguém vai ao Pai se não pelo consentimento do próprio Pai através do Filho. E nisto o Senhor Jesus questiona aos seus discípulos mais íntimos se eles querem se retirar também. E vemos uma das respostas mais lindas e extraordinárias dada por Pedro.
Vejamos, então, o que podemos aprender de lições neste texto precioso.
A primeira lição que podemos aprender é que:

1- Jesus é o grande vivificador do seu povo:

O texto a partir do v. 60 até o 63 diz: “Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Mas, sabendo Jesus em si mesmo que murmuravam disto os seus discípulos, disse-lhes: Isto vos escandaliza? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida”.
Jesus depois de pronunciar o seu discurso vê os ouvintes revoltados e tristes porque as suas palavras foram duras, ofensivas, severas, e rigorosas demais. Aí, Jesus sabendo da murmuração pergunta a eles: Isto vos escandaliza? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? Jesus mostra a eles que estavam tão chocados com as implicações destas afirmações em relação ao que ele era, imagine o que eles pensariam se um dia vissem o Filho do homem subindo de volta ao céu.
É claro que isto iria acontecer com ele, mas, o fato é que, eles não compreenderam a realidade espiritual proferida pelo Senhor Jesus. Então, como eles entenderiam a realidade da ressurreição dele?
É neste sentido que o Senhor Jesus dá uma verdadeira lição espiritual para os que o ouviam. Ele diz no v. 63: “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e vida”.
Ele mostra que, se não houver uma vivificação da parte dele para compreensão das coisas espirituais não adianta nada, o que é da terra, o que é do mundo, nada aproveita-se. Se não houver uma transformação efetuada pelo Espírito Santo de Deus pela Palavra no coração do homem , a carne para nada adianta. O homem perece na sua situação espiritual que sem Deus é totalmente miserável e pobre.
Portanto, Jesus ensina que se o homem não for vivificado, regenerado, transformado pela ação do Espírito Santo, ele não tem vida em si mesmo e a carne não vale de nada. Só o homem regenerado é que compreende que as palavras de Jesus são espírito e vida. Só o homem regenerado compreende que elas são palavras que emanam uma vida em comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

– Aplicação:

Sabem porque para nós é fácil entendermos que Jesus é o pão vivo que desceu do céu, de que ele é o único acesso ao Pai, de que ele é o verdadeiro Filho do Deus altíssimo?
Porque ele vivificou-nos através da obra maravilhosa do Espírito Santo em nosso coração para que compreendamos que as palavras de Jesus são espírito e vida. É por isso, que somos edificados com um Sl. como o 46, o qual, diz que Deus é o nosso refúgio, fortaleza e socorro bem presente na tribulação. Pois, a palavra de Jesus é vida para o nosso coração. Por isso, que somos edificados nos momentos de reflexão na Palavra, e ela é satisfação e alegria para o coração como Jeremias diz no cap. 15: 16: “Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua Palavra foi para mim o gozo e a alegria do meu coração; porque pelo teu me chamo, ó Senhor Deus dos Exércitos”.
Irmãos, só Jesus é o nosso verdadeiro vivificador, e ele transforma-nos, vivifica-nos através do Santo Espírito de Deus que aplica a Palavra da verdade no nosso coração.
A segunda lição que podemos aprender é que:

2- Jesus é o único acesso para o seu povo mediante à vontade do Pai Celestial:

Vejam o que dizem os vs. 64 e 65: “Mas há alguns de vós que não crêem. Pois Jesus sabia, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E continuou: Por isso vos disse que ninguém pode vir a mim, se pelo Pai lhe não for concedido”.
Aqui acontece uma rejeição de alguns por causa das palavras de Jesus de que ele é o pão da vida e que somente ele através do Espírito Santo é que poderia vivificar o coração de um homem. E ele que é onisciente, sabia do coração de cada um, sabia do interior de cada um. E afirma no v. 64 que alguns ali não criam, pois, desde o inicio ele já sabia os que não criam nele e também que Judas Iscariotes iria traí-lo conforme vemos no v. 71.
Aí, no v. 65, Jesus mostra que o significado da eleição está na vontade do Pai, não do homem. Ele diz: “Por isso vos disse que ninguém pode vir a mim, se pelo Pai lhe não for concedido”.
Jesus mostra aos seus ouvintes que ninguém pode vir a ele em fé se não for persuadido e capacitado para tanto pelo Pai Celestial através do Espírito Santo. Somente os que são escolhidos segundo o propósito eterno do Pai é que podem aproximar-se do Pai. Somente os escolhidos é que são tocados pela graça irresistível do amor e da vontade do Pai.

– Aplicação:

Irmãos, Jesus afirma que ninguém pode vir a ele se o Pai, não o trouxer, se não for concedido pelo Pai. Agora, você que está aí no banco e sabe que o Senhor lhe escolheu, não esqueça que este é um privilégio exuberante, vigoroso que Deus nos dá em Cristo Jesus. O fato de sermos aceitos pelo Pai mediante a obra de Jesus Cristo no calvário aplicada pelo Espírito Santo em nosso coração é algo para agradecermos e muito ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo de Deus.
Vejam, que havia ali naquele lugar alguns que não criam em Jesus, não criam nas palavras que foram ditas por ele. E um era o especial que não cria, Judas Iscariotes que desde a fundação do mundo, estava predestinado para a condenação, para a preterição no Reino de Deus. Como diz Lucas no cap. 22: 22: “E na verdade, o Filho do homem vai segundo o que é determinado, mas ai daquele por quem é traído!”
Na perspectiva do Reino de Deus as coisas são assim, é por isso que alguns ouvem acerca do Reino de Deus, do sacrifício de Jesus e não dão a mínima. Portanto, não nos preocupemos em anunciar a Jesus aos homens porque aqueles que estão capacitados pelo Pai para crer hão de crer, agora os que não estão, ouviram e não crerão, pois, Jesus já sabe quais são aqueles que crerão nele, ouvirão com impacto à sua mensagem. Para nós que um dia ouvimos, tem que suscitar um grande louvor, uma grande adoração porque ele nos elegeu antes da fundação do mundo para que crêssemos nele. Louvado seja o nome do Senhor por isso.
O apóstolo Paulo disse em Ef. 1:4-13: “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado; em quem temos a redenção pelo seu sangue, a redenção dos nossos delitos, segundo as riquezas da sua graça, que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência”.
A terceira lição que podemos aprender é que:

3- Jesus é o único consolo e esperança para o homem pecador:

Vejam que a palavra de Jesus causou um grande desânimo por parte de alguns. E o v. 66 diz que por causa disso muitos dos seus discípulos voltaram para trás e não andaram mais com ele. Aí, no v. 67, Jesus questiona aos doze e diz: “Quereis vós também retirar-vos? Só que nos vs. 68 e 69 há uma resposta de alguém que concentra a sua esperança, o seu consolo na pessoa de Jesus, este é Pedro que diz: “Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós já temos crido e bem sabemos que tu és o Santo de Deus”.
Alguns “discípulos” anteriormente escandalizaram-se com o fato de Jesus afirmar ser o pão da vida, o pão vivo que desceu do céu. E agora, eles vêem Jesus afirmando que ninguém vem a ele se o Pai não conceder, e diz também que ele sabe os que não crêem nele. Por isso, eles saem, abandonam ao Senhor Jesus, mostrando que são só ouvintes mesmo das palavras de Jesus, jamais discípulos genuínos de Jesus. Estes são discípulos temporários, não os verdadeiros que perduram em seguir a Cristo em qualquer situação.
Mas, Jesus resolve dentro do propósito dele questionar aos 12 dizendo: “Quereis vós também retirar-vos? Aí, Pedro demonstrando ser um discípulo genuíno de Jesus nesta hora oportuna responde: “Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós já temos crido e bem sabemos que tu és o Santo de Deus”.
Aqui está uma das respostas mais teológica, mais profunda acerca de Jesus de Nazaré. Pedro reconhece aqui a sua limitação como homem pecador, reconhece a sua miséria como homem. Reconhece que Jesus é o único que pode trazer algo de concreto para o coração do homem. Pedro na sua afirmação demonstra um compreensão espiritual daquilo que Jesus dissera de si mesmo nos versos anteriores deste capítulo 6, de que de fato ele era o pão vivo que desceu do céu. E que somente nele havia a vida eterna, a vida em plena comunhão com o Pai. Pedro aprendeu a degustar o alimento espiritual que era Jesus, e ele reconhecera que a satisfação para a vida de um homem só era encontrada em Jesus. Por isso, ele disse: “Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna”.
Pedro viu Jesus acima de Moisés que foi instrumento de Deus para a providência do maná. Pedro teve uma compreensão absolutamente espiritual acerca de Jesus. Ele entendeu que só Jesus poderia trazer consolo e esperança para a sua vida e a dos seus companheiros de ministério. Ele compreendeu que Jesus poderia trazer vida eterna em qualidade para ele e os outros. Por isso, ele afirmou de maneira profunda no v. 69: “E nós já temos crido e bem sabemos que tu és o Santo de Deus”.
Jesus para Pedro era de fato o salvador, o redentor do seu povo, era o servo sofredor pregado por Isaías, era o Rei citado pelo profeta Zacarias, era , era o sol da justiça citado pelo profeta Malaquias, ele era mais do que o profeta Moisés, era simplesmente o Santo Filho de Deus, era o Cristo de Deus. Era o próprio Deus encarnado. Pedro reconhece estas coisas no seu coração e diz: “Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós já temos crido e bem sabemos que tu és o Santo de Deus”.

– Aplicação:

Irmãos, e nós hoje, reconhecemos a nossa fraqueza também como homens pecadores que necessitam do consolo e da única esperança para a vida?
Olhamos para o mundo, olhamos para a realidade brasileira, para a nossa miséria em que mais de 20% da população brasileira por incrível que pareça passa fome, olhamos para a realidade brasileira de que a cada 10 meninas brasileiras 3 estão abortando, a cada 10 rapazes, 6 estão envolvidos com o crake. Olhamos para a realidade brasileira de que acontecem 10 casamentos e ao mesmo tempo 15 casais separam-se.
Será que diante desta realidade tão caótica e dura para nós, estamos sendo discípulos de Cristo temporários, ou estamos sendo discípulos genuínos como o apóstolo Pedro que reconhecia em Cristo a única solução para a esperança e o consolo?
Onde estão concentradas as nossas forças para enfrentarmos as crises deste século? Irmãos, é bom que entendamos que Jesus é a única esperança para a nossa dor, para a nossa angústia, ele é o único que pode nos consolar diante das nossas tribulações sejam elas quais forem. Querido visitante, Jesus é o único que tem palavras de vida eterna, palavras que vivificam, que mudam a vida de um homem e de uma mulher que está num estado de podridão da alma e do coração. Pois, só ele tem palavras de vida eterna, só ele é o Santo Filho de Deus. Homem nenhum na face da terra tem para dar o que Jesus dá àqueles que crêem nele, como o Filho do Deus Altíssimo.
Glória ao Pai, ao Filho, ao Espírito Santo porque nós temos acesso pela graça ao Senhor Jesus, temos acesso às palavras vivas dele. Podemos viver em comunhão com o Pai por causa do amor com o qual ele mesmo nos amou. Como Paulo diz em Atos 17:26-28: “E de um só fez todas as raças dos homens, para habitarem sobre toda a face da terra, determinando-lhes os tempos já dantes ordenados e os limites da sua habitação; para que buscassem a Deus, se porventura, tateando, o pudessem achar, o qual, todavia, não está longe de cada um de nós; 28 porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois dele também somos geração”.
Bem, as realidades da Palavra de Deus Pai estão aí, só Jesus é o grande vivificador do seu povo, só Jesus nos leva até ao Pai por causa da própria vontade do Pai, só Jesus consola e traz esperança viva para o nosso coração. O meu desejo é que estas realidades da Palavra façam parte da nossa vida cristã todos os dia em nome de Jesus, amém!!!

Autor: Alcindo Almeida

Visite o site www.ejesus.com.br

//flp

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião