O Espírito Santo em José do Egito

Introdução:
Quando o Espírito Santo tem liberdade de ação na vida de um servo de Deus, pode habilitá-lo para os maiores empreendimentos. Veja o seguinte:

i. Capacidade para revelação de mistério.

Sonhos de profunda significação deixaram Faraó, rei do Egito, “… de espírito perturbado… mas ninguém havia que lhos interpretasse” ( Gn 41.8 ). Os receios de Faraó foram confirmados quando José, pelo Espírito de Deus interpretou-lhe os sonhos, revelando que a poderosa nação egípcia estava à margem de uma crise sem paralelo. Viriam sete anos de fartura, seguidos de sete anos de fome. A fome seria tão intensa, que os anos de fartura seriam esquecidos. José, que interpretou os sonhos, advertiu a Faraó para que nomeasse um administrador , a fim de que fossem armazenados gêneros alimentícios durante aqueles anos de fartura, prevenindo-se para os anos de calamidade.

ii. Sabedoria para administrar.

A quem Faraó iria encontrar capaz de tão importante tarefa.? A pergunta do rei foi; “Acharemos, porventura, homem como este, em quem há o Espírito de Deus?” ( Gn 41.38 ). Certamente Faraó, olhando para José, disse; “Se o Espírito de Deus tem mostrado a este jovem a interpretação dos meus sonhos, poderá dotá-lo de sabedoria para qualquer emergência.” De fato, o Espírito de Deus dera à José, sabedoria divina para administrar.

Assim, o jovem José, cheio do Espírito, tomou o encargo da economia do Egito, administrando os negócios do reino com toda a autoridade e com muita eficiência. José salvou da morte milhões de vidas.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião