O LENÇOL DAS MUDANÇAS

Tese: “Mostrar que a igreja deve acompanhar o movimento renovador do Espírito Santo, para manter-se atualizada quanto ao que Deus quer fazer no mundo.”

INTRODUÇÃO

– O despertar missionário no contexto brasileiro
– Quando pensamos em missões, estamos pensando exatamente o quê?
– Nacionais
– Estrangeiras
– Por quem? Para quem? Quando?

TRANSIÇÃO

– Para cumprir o propósito de Deus no mundo, tem que haver em primeiro lugar uma renovação em nossa própria comunidade.

– Esta renovação nos capacitará e fortalecerá para que não nos desviemos dos propósitos do Senhor.

– Gostaria de mostrar cinco aspectos bíblicos que nos ajudarão a refletir sobre nossa comunidade e o desafio que Deus nos mostra para os dias de hoje.

1. DEUS SE ANTECIPA À IGREJA NO PROJETO DE SALVAR O MUNDO ( v.1-8 )

– Cornélio, homem temente a Deus, que procurava agradar o Senhor.
– As suas orações foram ouvidas por Deus – também respondidas.
– Aprendemos aqui algumas lições preciosas:
– A responsabilidade de salvar o mundo não está nas mãos da igreja, mas em Deus. Ele é o primeiro interessado em salvar a humanidade dos seus pecados.
– Este aspecto é conhecido como Missio Dei – termo latim que indica a Missão de Deus. Missão nasce no coração de Deus. Todas as iniciativas pertencem a ele. Todos os aspectos estão debaixo da sua direção.
– Deus não permitirá, todavia, que a igreja venha a se esquecer de que há pessoas prontas para receber o evangelho. Por isso, Deus se antecipa, sempre, no seu projeto de salvar o mundo.
– Durante séculos, Deus tem ido à frente da igreja, abrindo-lhe os caminhos, para que ela possa preencher todos os espaços com a mensagem transformadora do evangelho.
– Don Richardson: “O Deus que preparou o evangelho para o mundo, tem também preparado o mundo para o evangelho?” A resposta é sim.

2. A IGREJA ÀS VEZES SE TORNA RESISTENTE AO PROJETO DE DEUS PARA SALVAR O MUNDO ( 9-19 ).

– Se de um lado temos um homem procurando o favor de Deus em oração, por outro lado temos um homem, Pedro, buscando a vontade de Deus em oração.

– A diferença entre estes dois homens, é que um ( Cornélio ) estava sensível a voz de Deus, enquanto que outro ( Pedro ) estava mais resistente.

– Desce dos céus o lençol das mudanças. Pedro resiste à voz de Deus.

– O lençol contrariava tudo o que Pedro cria. Ele se julgava judeu demais para obedecer o comando de Deus.

– Ele (Pedro) estava cheio de pré-conceitos. Seus dogmas de como Deus era já estavam cristalizados, por isso, mesmo quando ouve a voz de Deus reformulando aqueles conceitos, ele resiste.

– A expressão “jamais fiz assim antes” reflete o sentimento de Pedro.

– Pedro não se apercebe que Deus quer mudar a sua mente para algo que já aconteceu. Na cruz do calvário, Jesus Cristo rompeu com as barreiras da separação entre os povos. Os tempos agora são outros.

Podemos aprender algumas lições aqui:
– Deus não se acorrenta aos tempos e as eras. As formulações por ele estabelecidas no passado, estão agora sendo desestabelecidas. Uma nova ordem se instala, e Deus é o autor da mesma.
– Deus está disposto a revelar coisas grandes que vão até mesmo mudar o curso da história, mas muitas vezes, por causa de visão pequena daquilo que Deus é, e uma visão limitada daquilo que ele é capaz de fazer, nos impedem de experimentar os desafios do Senhor.

– Deus não é conservador em matéria de salvar o mundo. A igreja é que tem que tomar cuidado para não ficar à margem daquilo que Deus está fazendo no mundo.

3. DEUS INTERVÉM PARA MUDAR OS CONCEITOS ESTABELECIDOS PELAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS, E QUE ESTÃO IMPEDINDO O SEU PROJETO DE SALVAR O MUNDO ( 17-22 )

– Pedro continua sentado no telhado da casa: perplexo sobre qual seria o significado daquela visão e meditando sobre o que Deus queria com tudo aquilo.

– Deus continua trabalhando no seu projeto de salvar o mundo. Os homens de Cornélio já estão à porta e alguma coisa precisa ser feita. “eu os enviei” ( 20 )

– quando os missionários (as) não querem ser enviados, Deus envia as pessoas a elas! Os enviados são os descrentes – A inversão missionária.

– A ordem é clara: os homens estão aí, vá e não duvide. “ eu (Deus) os enviei”- estão aí, nos centros urbanos, à porta, enviados por Deus aos relutantes missionários(as).

– Deus não desiste dos seus servos, porque se ele tem como propósito salvar o mundo, ele o quer fazer através da instrumentalidade da igreja.

– Johannes Blauw, missiólogo holandês, afirmou: “A igreja de Cristo é serva do mundo, enviada ao mundo. A comunidade existe para o mundo, porque é a comunidade de Jesus Cristo.”
4. A IGREJA FINALMENTE OBEDECE E SE ENQUADRA NO PROJETO DE DEUS ( 23-43 )

– Obedecer tardiamente é melhor do que ficar lamentando o passado.
– Mesmo obedecendo, Pedro deixa que a sua tradição continue dominando o seu pensamento.
– Depois do relato de Cornélio, Pedro achou por bem acreditar no que Deus estava querendo lhe ensinar ( 34 ).

Algumas lições que podemos aprender:
– “Cornélio estava esperando”( 24 ), muitos estão nos esperando prontos para ouvirem e receberem.
– “Tendo reunido parentes e amigos íntimos”, Deus tem reservado grandes surpresas para àqueles que se dispõem a fazer a sua vontade. Deus providência a audiência.
– Deus não faz acepção de pessoas.
– Pessoas de todas as partes do mundo, têm o privilégio de ouvir a proclamação do evangelho da paz.

5. A IGREJA SE ENQUADRA NO PROJETO DE DEUS, E EXPERIMENTA AS BÊNÇÃOS DE VER HOMENS E MULHERES CONVERTIDOS AO DEUS TODO PODEROSO ( 44-48 )

– Presenciamos agora um Pentecoste Gentílico. Uma repetição do Pentecoste ocorrido em Jerusalém.
– Quando Deus prepara os corações para receber a palavra, eles responderão positivamente à mensagem do evangelho.

Algumas lições que podemos aprender:
– Deus tem pressa em salvar o pecador. “Pedro ainda falava” quando o Espírito Santo caiu sobre todos.
– A mensagem do evangelho tem que ser direta ao ponto que interessa ao perdido. O que passar disto deve ser feito através do discipulado.
– Temos aqui uma manifestação externa que foge ao controle do pregador, da igreja. Deus não fica limitado ao nosso querer sobre como ele irá salvar o pecador.

6. CONCLUSÃO

– Deus está fazendo algo novo na história.
– A pergunta não é se nós concordamos ou não com o que Deus está fazendo, mas, se nós vamos participar deste agir novo do Senhor!
– Temos a opção de nos assentarmos no telhado das nossas tradições e de refletir perplexamente sobre o que Deus está fazendo e meditar, meditar…
– Temos a opção de ao ouvirmos a voz do Espírito dizendo: “levanta-te” e obedecer a este comando.
– Ao que Deus purificou não chamemos de imundo.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião