O Que Fazer Quando não se Sabe o Que Fazer

Introdução

A história do sábio que foi testado por seu amigo com um pássaro na mão… A resposta do sábio: O pássaro está em suas mãos.

O contexto de 2 Crônicas cap. 20 nos conduz para o período de reinado de Josafá e considero ser propício examinarmos suas experiências, sendo ele também um líder político. Ele foi Rei de Judá. Reinou cerca de 24 anos, aproximadamente entre os anos de 872 a.C a 848 a.C.

O nome Josafá significa: “O Senhor é Juiz”.

A Bíblia informa que Josafá exerceu uma administração diferente da maioria dos seus antecessores: “Ele procurou fazer o que era reto perante o Senhor” (2Cr. 20:32).

É importante destacarmos que procurar fazer o que é reto perante Deus não nos isenta de grandes situações.

Isto é visto na experiência de Josafá. No verso 1 encontramos a informação que 3 povos se uniram contra Judá…

Mesmo procurando fazer o que era reto perante Deus, Josafá enfrentou problemas.

A natureza do problema que Josafá enfrentou podemos identificá-la no verso 2: “Grande multidão vem contra ti”.

A mesma natureza em nossos problemas estamos sujeitos a enfrentar –– Grandes problemas que se levantam Contra nós.

No entanto, a natureza dos nossos problemas, serve também, para revelar a nossa própria natureza: humana.

Veja a reação humana e limitada de Josafá:

– “Josafá teve medo” (verso 3).

– “em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós” (verso 12)

– “não sabemos nós o que fazer” (verso 12)

Como se humanos estamos sujeitos a sentir medo, perder as forças e não saber o que fazer em relação a muitas situações.

O nosso medo e fraqueza almenta, porque olhamos sempre para a natureza dos nossos problemas: GRANDE. Por isso, muitas vezes não sabemos o que fazer (verso 12).

Na experiência de Josafá: O Que Fazer Quando Não se Sabe o Que Fazer?

1°–– Buscar Socorro no Senhor (versos 3 e 4)

Eu afirmo que precisamos valorizar os nossos relacionamentos, porque com eles e por meio deles somos abençoados e podemos abençoar.

No entanto, aqueles que julgamos ter algum relacionamento, podem nos abandonar na hora que mais precisamos deles.

O exemplo de Esdras e do Salmista, líderes, deve fortalecer a nossa estrutura humana.

(Ed. 8:22): Porque tive vergonha de pedir ao rei exército e cavaleiros para nos defenderem do inimigo no caminho, porquanto já lhe havíamos dito: A boa mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles….

Sl 118:6-11 – 6O SENHOR está comigo; não temerei. Que me poderá fazer o homem? 7O SENHOR está comigo entre os que me ajudam; por isso, verei cumprido o meu desejo nos que me odeiam. 8Melhor é buscar refúgio no SENHOR do que confiar no homem. 9Melhor é buscar refúgio no SENHOR do que confiar em príncipes. 10Todas as nações me cercaram, mas em nome do SENHOR as destruí. 11Cercaram-me, cercaram-me de todos os lados; mas em nome do SENHOR as destruí.

O nosso Deus nunca está distante, ele diz: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração”. (Jr 29:13).

George Washington disse: “Impossível é governar bem o mundo sem Deus e sem a Bíblia”.

O Que Fazer Quando Não se Sabe o Que Fazer?

2°–– Buscar o Senhor na Perspectiva da Sua Soberania (verso 6)

Enquanto no verso 12, Josafá externa a sua natureza (“Porque em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer”), no verso 6 ele se apóia a onde todos nós deveríamos no apoiar – Na Soberania de Deus (“…Tu que dominas sobre todos os reinos dos povos? Na tua mão, está a força e o poder, e não há quem te possa resistir”.)

Em Sua Soberania, “O SENHOR empobrece e enriquece; abaixa e também exalta”. (1Sm 2:7)

“Deus é o juiz; a um abate, a outro exalta”. (Sl 75:7)

O Que Fazer Quando Não se Sabe o Que Fazer?

3°–– Buscar o Senhor com Louvor e Ações de Graças (versos 21 e 22)

Josafá não enfrentou o seu Grande problema que se levantou contra ele com armamentos bélicos, nem lançando pragas; mas, com louvor a Deus.

“Rendei graças ao SENHOR, porque a sua misericórdia dura para sempre”.

Josafá não louvou depois da vitória, ele louvou antes e durante a batalha. Não apresentou Culto de Ações de Graças, depois da graça recebida mas antes de recebê-la.

Conclusão

E porque Josafá enfrentou o seu Grande problema:

1°–– Buscando o Senhor

2°–– Buscando o Senhor na Perspectiva da Sua Soberania

3°–– Buscando o Senhor com Louvor e Ações de Graças

Josafá experimentou o que para muitos é impossível…

(verso 26) “Ao quarto dia, se ajuntaram no vale de Bênção, onde louvaram o SENHOR; por isso, chamaram àquele lugar vale de Bênção, até ao dia de hoje”.

Vale, é expressão de dificuldades e derrotas.

O Vale que deveria ser chamado de “Vale da Derrota” ou “Vale da Morte”, o Deus Soberano o transformou em Vale de Bênção.

Deus pode transformar os nossos vales, não importam quais sejam, em Vales de Bênçãos.

O sábio foi testado pelo seu amigo com um pássaro na mão, a resposta foi: “O pássaro está em suas mãos”.

Você não é o sábio, porque O Sábio diz: “O pássaro está em suas mãos” em Is 1:19-20: “Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra. Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a boca do SENHOR o disse”.

(02 de janeiro de 2005)

www.ejesus.com.br
www.ilustrar.com.br

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião