Por que trouxestes a congregação do Senhor este deserto?

Muitas vezes os nossos problemas levam a outros problemas. O que acontece muito é que nós, tendo problemas de saúde, problemas com outras pessoas, ou problemas financeiros, ao invés de solucioná-los, criamos mais problemas. Por exemplo, um irmão se sente enfermo ou sente fortes dores de cabeça, ou mais uma outra dificuldade. Aquele irmão começa a procurar médicos e remédios em todo canto, mas deixa de freqüentar a casa de Deus, e deixa de orar a Deus. Ou acontece, dando mais um exemplo, que um irmão ficou chateado por causa de um mal-entendido, por causa de uma discussão, ou por causa de uma brincadeira de mal gosto. Aquele irmão chateado, fica magoado. Ele não procura conversar com aquele que o chateou, mas prefere afastar-se dos irmãos da Igreja. Ou acontece que um irmão está tendo um problema financeiro. Aquele que está tendo este problema, muitas vezes coloca Deus em segundo lugar, não dando mais ofertas, procurando trabalhar aos domingos, ficando desanimado. Deste modo, os nossos problemas, quase que sempre, levam a outros problemas. Assim nós, já tendo problemas, criamos mais problemas, até problemas mais sérios ainda. Preocupando-nos com nossas próprias vidas, quanto ao que comer ou beber, preocupando-nos com nossos próprios corpos, quanto ao que vestir, deixamos, vezes por outras, de buscar, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça.

É isto que também aconteceu quando o povo de Deus estava próximo do fim da viagem pelo deserto. No trigésimo nono ano depois da saída do Egito, surgiu um grande problema no meio do povo de Deus. Não havia água para o povo (Números 20:2). Agora, esta falta de água não era aquele problema inocente que nós muitas vezes enfrentamos. Não era assim, que um dia eles abriram as torneiras, e que não saiu nenhuma gota de água. A situação do povo de Deus era bem mais grave. O problema deles era muito parecido com o da seca no sertão pernambucano, no sertão alagoano, e no sertão de alguns outros estados do nordeste. Todos sofriam. Os animais corriam risco de vida. Havia muito sol e muito calor, mas não havia chuva. Não havia nenhuma gota de água em canto nenhum. Foi um problema muito sério. Ninguém via uma solução. Todos estavam aperreados. A situação ficou tão precária, que alguns até preferiam ali morrer do que viver. Mas, o que eles fizeram para vencer aquele problema da falte de água? Será que eles clamaram a Deus? Será que eles fizeram súplicas ao Todo-Poderoso criador do céu e da terra? Será que eles buscaram a Deus em oração? Aconteceu uma coisa bem diferente: Todos uniram-se contra Moisés e Arão. Todos eles estavam bravos. A única coisa que eles ainda eram capazes de fazer, era gritar contra seus líderes, culpando-os da falta de água e da miséria. Naquele momento, ninguém se lembrava de Deus. Naquela hora do desespero, ninguém se lembrava da única fonte de todo bem. Assim os filhos de Deus criaram outro problema em cima do problema da falta de água: Houve um confronto e então surgiu um conflito entre o povo e seus líderes, Moisés e Arão. Agora havia dois problemas, dois problemas bastante sérios: falta de água e um conflito no meio do povo.

Por que isto aconteceu? Por que, ao invés de orar a Deus, ao invés de buscar uma solução viável, o povo ficou tão revoltado e foi para cima de Moisés e Arão? Por que eles não solucionaram o problema, mas acabaram criando um novo problema? Parece que o povo de Deus estava muito acostumado às bênçãos e milagres do SENHOR. Eles estavam tão acostumados a receber coisas boas, que não suportavam falha nenhuma. Eles, acostumados a sempre receber todas as boas coisas de graça, não suportavam se alguma coisa estava em falta. Deus lhes tinha dado tantas bênçãos, que eles não sabiam mais lidar com problemas. Eles já estavam achando que mereciam somente coisas boas. Eles sentiam que tinham direito a tudo que desejassem. Pois olhem, eles não eram o povo de Deus? Eles não eram povo escolhido de Deus? Então, o povo de Deus não merece um tratamento bom? Foi este pensamento que eles tinham colocado nas suas cabeças. Era isto que eles queriam fazer com que Moisés e Arão sentissem, pois disseram-lhes: “Por que vocês trouxeram ‘a congregação do SENHOR’ a este deserto” (Números 20:4-5)? Parece apenas um detalhe, mas é bom vermos isto, irmãos. Eles se chamaram “a congregação do SENHOR”, deixando assim bem claro a mentalidade que tinham: “Nós que somos ‘a congregação do SENHOR’, nós não merecemos sofrer. Nós merecemos uma vida digna. Nós merecemos um destino melhor”. É assim que eles falavam e pensavam. Por isto eles foram logo brigar com Moisés e Arão quando surgiu aquele problema da falta de água. Irmãos, não existe o perigo que nós também podemos ter essa mentalidade? Podemos achar que merecemos educação, ajuda financeira, boa saúde, um emprego fixo, felicidade e muitas outras coisas pelo fato de fazermos parte do povo de Deus. Podemos achar que merecemos tudo isto de graça, sem pagar nada e com direito a reclamar. Aí vai surgir logo um conflito em nosso meio quando alguém está sofrendo ou quando alguém está tendo problemas ou dificuldades: Reagimos logo com indignação e ficamos abusados, achando que merecemos muito mais do que recebemos. Mas desta forma não dá para resolver nenhum problema em nosso meio. Pelo contrário, desta forma somente criamos mais problemas.

É bom prestarmos atenção e aprendermos agora com Moisés e Arão. Qual foi a reação deles diante daquele problema da falta de água e diante das ameaças pelo povo? Os dois irmãos, Moisés e Arão, fizeram o seguinte: Eles dobraram os joelhos e se humilharam diante de Deus. “Moisés e Arão se foram de diante do povo para a porta da tenda da congregação, e se lançaram sobre os seus rostos” (Números 20:6). Eles se lançaram com os seus rostos na poeira da terra. Assim eles fizeram a única coisa certa: Eles buscaram o SENHOR Deus. Na hora da angústia, eles não estavam chateados, nem brigaram por seus direitos, mas mostraran humildade. Eles não gritaram. Eles reconheceram que o SENHOR é Deus. Eles buscaram o SENHOR em oração. Irmãos, será que nós fazemos isto também quando estamos enfrentando um grande problema? Não é assim, muitas vezes, que procuramos soluções sem pensar em Deus? De vez em quando ficamos irritados e bravos, querendo resolver o nosso problema de saúde, ou o nosso problema com outras pessoas, ou nosso problema financeiro, deixando Deus de fora. Assim afastamo-nos de Deus, criando um problema mais sério ainda. Assim esquecemo-nos de Deus, que é santo no meio de seu povo. Ele não é o Deus de toda glória? Ele não é poderoso para nos ajudar? Será que há outro igual? Por isto devemos buscar a ele, e clamar a ele, e confiar somente nele na hora da angústia. É isto que Moisés e Arão fizeram. Os dois, que estavam numa situação muitíssimo precária, entregaram tudo na mão de Deus. Enquanto o povo cercava os dois, exigindo seus direitos, talvez até querendo linchá-los, eles fizeram súplicas ao Todo-Poderoso. Então apareceu-lhe a glória do SENHOR (Números 20:6). O SENHOR mostrou-lhes que ele é glorioso e santo, e que está a cima de todas as coisas. E ele disse a Moisés: “Toma a vara, ajunta o povo, tu e Arão, teu irmão, e, diante dele, falem à rocha, e ela dará a sua água; assim lhes tirarão água da rocha, e darão a beber à congregação e aos seus animais” (Números 20:7-8).

Irmãos, que coisa! Todos, tanto o povo como os líderes, estavam desesperados. Os problemas dobraram. E o povo ficou bravo. Mas o SENHOR, que é bondoso, ele deu uma solução. Ele mandou Moisés pegar a vara e falar à rocha. Deus mandou que Moisés falasse à rocha, para que ela se transformasse numa fonte de água. Assim é nosso Deus! Onde nós apenas aumentamos os nossos problemas, ele está presente para resolver tudo. Onde nós ficamos tristes, abatidos, com raiva ou estressados, ele remove todas as nossas preocupações. Basta o Senhor dizer uma só palavra, e seremos curados (Mateus 8:8). Irmãos, como é grande a bondade de Deus! Como é grande o poder de Deus! Neste momento quero chamar a sua atenção para um detalhe. Por que o SENHOR mandou Moisés para tomar a vara? Moisés não precisava de uma vara para bater (como ele tinha feito quando a água do rio se transformou em sangue). Moisés somente precisava falar. Assim era a ordem do SENHOR a Moisés e Arão: “falem à rocha”! Por que então o Senhor quis que ele levasse a vara? É preciso conhecermos um pouco mais da história do povo de Deus: Aconteceu uma vez que boa parte do povo de Israel rebelou-se contra Moisés e Arão. Um sujeito, chamado Coré, queria ser sacerdote como Arão. Então o SENHOR mandou que cada um dos doze príncipes das tribos de Israel desse uma vara. Moisés as colocou perante o SENHOR na tenda do testemunho. No dia seguinte Moisés entrou na tenda, e eis que a vara de Arão tinha brotado, tinha produzido flores, e dava amêndoas (Números 17:1-8)! Foi assim, através deste milagre, que o SENHOR mostrou a todos os rebeldes no meio do povo: Somente Arão e os seus descendentes serão sacerdotes. Somente eles são escolhidos para este serviço. Ao mesmo tempo o SENHOR deixou também claro que ele pode tudo. Deus pode fazer com que a madeira seca de uma vara produza frutos dentro de 24 horas. Assim Deus deu uma lição muito importante ao povo. Depois, Deus mandou guardar aquela vara (que tinha produzido flores e frutos) por sinal para os filhos rebeldes do povo de Israel: Lembrando aquela história com a vara, Moisés faria acabar as murmurações contra Deus (Números 17:10). Agora, quando Deus mandou Moisés tomar a vara e falar à rocha, ele quis que Moisés tomasse aquela mesma vara. Assim todos ficariam lembrados de que Deus é capaz de mudar tudo num instante. Assim todos os rebeldes deviam ficar calados diante de Deus. Pois será que Deus, que já fez a madeira seca da vara de Arão brotar e produzir flores e frutos, não pode resolver qualquer problema? Será que ele não pode também dar água da rocha? Só faltava o povo de Deus acreditar. Por isto o SENHOR mandou que Moisés tomasse a vara, para depois falar à rocha. Aquela vara era um sinal, para que todos ficassem calados diante do Deus de toda a terra, e para que todos confiassem somente nele. Porque é isto que importa, principalmente quando há problemas em nossa vida, ou em nossa Igreja: O SENHOR quer que os grandes problemas da nossa vida nos levem a confiar nele.

Irmãos, como são grandes a bondade e a misericórdia do SENHOR. Vejam como Deus é muito bondoso e compassivo. O povo de Israel reclamava e murmurava. Eles já tinham apontado os líderes Moisés e Arão como os bodes expiatórios. Todos assumiram uma atitude muito feia. Os problemas dobraram. Ninguém orava a Deus. Mas vejam como Deus é bondoso para com seu povo! Depois de ter suportado o seu povo durante todos aqueles 39 anos, Deus não ficou com raiva e não decidiu destruir seu povo. Deus, na sua imensa bondade, viu a necessidade e os problemas deles, e fez uma nova maravilha. Certamente o SENHOR podia ter reagido diferente! Certamente ele podia ter reagido com raiva, o que até teria sido bem compreensível! Isto já havia acontecido várias vezes em ocasiões anteriores. Já várias vezes tinha acontecido que as murmurações e as contendas do povo provocaram a santa ira de Deus. Mas vejam irmãos, nosso Deus não é um Deus que se ira perpetuamente. Deus é bondoso. Deus é a fonte da vida. Deus é uma fonte muito abundante de todo bem. Irmãos, vamos analisar a nossa própria situação. Nós não somos melhores do que o povo de Deus no deserto. Nós não somos melhores do que aquele povo descontente. Nenhum de nós merece nada se não somente o castigo de Deus. Temos pecado muito, e temos mostrado pouca gratidão pelas bênçãos recebidas. Mas Deus nos tem abençoado muito. Deus nos tem dado muitos privilégios, por pura graça, dentre outros o privilégio imerecido de ouvirmos a pregação da palavra de Deus. Deus é mais bondoso do que nós podemos imaginar. Foi justamente isto que Ele quis mostrar a todos, quando mandou Moisés e Arão falarem à rocha, para que todas as pessoas e os animais pudessem beber água. Deus quis que Moisés e Arão falassem à rocha, divulgando e provando a imensa bondade de Deus para com um povo pecador.

Mas, o que Moisés e Arão fizeram? Eles não falaram. Mas Moisés perdeu o controle e ficou muito bravo e feriu a rocha duas vezes com a vara. Moisés e Arão estavam chateados mesmo. Será que eles foram surpreendidos por tamanha bondade da parte de Deus? Os dois estavam chateados mesmo, e disseram ao povo: “Agora, rebeldes, tomem água! Bebam da rocha a água que nós lhes damos”! Ao mesmo tempo, Moisés feriu a rocha duas vezes com a sua vara. Saíram muitas águas, pois Deus é bondoso. Mas Moisés e Arão desobedeceram a ordem do Senhor. A ordem do Senhor foi que Moisés e Arão falassem à rocha em nome do Senhor. Era para os dois terem falado em nome de Deus, pregando o evangelho da sua bondade para com pecadores terríveis. Mais Moisés estava tão bravo contra o povo, que não quis pregar a palavra de jeito nenhum! Ele tinha vontade de dar uma pisa no povo, e assim ele bateu na rocha. . . . Deus reagiu imediatamente, e disse a Moisés e Arão: “Vocês não confiaram em mim. Vocês não falaram ao meu povo que eu sou o santo e bondoso Deus no meio deles. Por isso vocês não farão entrar este povo na terra que lhe darei” (Números 20:12). Que coisa triste! Os servos de Deus deixaram de fazer a única coisa que sempre tem que ser feito: Eles deixaram de pregar o evangelho. Eles deixaram de ensinar ao povo que o Deus de Abrão, o Deus da aliança, sara todos os problemas dos seus filhos. Eles deixaram de dizer: ‘Povo escolhido de Deus, vocês sempre criam muitos problemas, e ainda criam problema em cima de problema, mas Deus é bondoso e misericordioso para convosco: Mas Deus é bondoso e misericordioso. Deus lhes dá a vida, não porque merecem, mas por pura graça, e por seu poder. Para deixar isto bem claro, nós vamos falar à essa rocha, para que vocês saibam que vocês receberam salvação por pura graça da parte de Deus” Infelizmente Moisés e Arão foram levados por emoções, e não falaram à rocha. Isto foi muito grave, pois assim o povo de Deus, que já não pensava em Deus, perdeu uma grande oportunidade de ter consciência de Deus. É justamente isto que é fundamental, também para nós. Onde há problemas em nosso meio, problemas de saúde, conflitos e necessidade, onde o povo de Deus até está multiplicando seus problemas, ali tem que ser falada a palavra de Deus, com carinho e poder, para que os filhos de Deus, que todos são falhos, possam aprender a confiar no SENHOR. É bom todos os oficiais da Igreja notarem isto: Aqueles que são oficiais da Igreja jamais devem perder o autocontrole diante dos problemas e fraquezas do povo de Deus. Nós oficiais temos apenas um só dever: Temos que falar a Palavra de Deus, mostrando ao povo de Deus que nosso Senhor Jesus Cristo é a única rocha, a única solução, e o único remédio para todos os nossos problemas mais profundos (1 Coríntios 10:4). Ele é a fonte de água viva. Ele é quem nos lava e purifica de todos os nossos pecados. Ele é quem vivifica as nossas almas sedentas, para que possamos louvar a imensa bondade de Deus para com pecadores. Amém.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião