Praticando os cinco tipos de oração

Introdução:

Nós estamos começando o ano de 2007 vivenciando uma vida mais profunda de oração.

Na primeira mensagem aprendemos porque Deus quer que você desenvolva uma vida poderosa de oração. Se podemos resumir a primeira mensagem desta série em apenas uma frase diríamos que: Deus quer que você desenvolva uma vida poderosa de oração porque Deus quer desenvolver uma relação pessoal e profundo com você e, sem oração isso seria impossível.

Na segunda mensagem vimos como desenvolver uma vida poderosa de oração. Só é possível desenvolver uma vida profunda de oração quando, os princípios ensinados pelo apóstolo Paulo em Colossenses 6:2-5, encontramos o caminho de volta para dentro do nosso quarto secreto de oração.

Hoje de manhã, na terceira mensagem, aprendemos que oração poderosa sempre vem acompanhada de um profundo compromisso com a vida de santidade.

Agora, vamos aprender os cinco tipos básicos de oração.

Acreditamos que uma vida poderosa de oração é o resultado de uma vivência equilibrada entre os cinco diferentes tipos básicos de oração.

Nenhum tipo de é mais importante do que o outro. Mas, todos eles contribuem para o desenvolvimento do nosso relacionamento com Deus.

Primeiro Tipo de Oração:
LOUVOR E AÇÕES DE GRAÇAS

Louvor e ações de graças são as maneiras básicas pelas quais adoramos e celebramos a Deus.

Uma parte essencial do nosso relacionamento com Deus é o nosso tempo diário de ação de graças e louvor.

Muita gente boa; crentes experientes, ainda continuam achando que oração consiste em apenas apresentar diante de Deus uma lista com pedidos e necessidades. Continuam insistindo em tratar Deus como papai Noel. Que tristeza!

Mas, foi o próprio Senhor Jesus quem afirmou que Deus está a procura de verdadeiros adoradores. Que adorem a Deus em espírito e em verdade.

Deus quer que apresentemos a Ele nossas necessidades, mas o que mais Deus quer é o nosso louvor e adoração sinceros.

Quando a nossa adoração está no lugar certo, é sinal que aprendemos a colocar Deus como prioridade em nossas vidas.

Eu posso garantir a você, que um tempo dedicado para reconhecer a grandeza, o poder, o amor e a soberania de Deus, quando estamos orando, irá acrescentar muito mais prazer à sua vida de oração.

Na Bíblia há várias convocações para a adoração…

No salmo 100 nós lemos:
“Aclamem o Senhor todos os habitantes da terra!
Prestem culto ao Senhor com alegria; entrem na sua presença com cânticos alegres.
Reconheçam que o Senhor é o nosso Deus.
Ele nos fez e somos dele, somos o seu povo, e rebanho do seu pastoreio.
Entrem por suas portas com ações de graças, e em seus átrios, com louvor; dêem-lhe graças e bendigam o seu nome. Pois o Senhor é bom e o seu amor leal é eterno; a sua fidelidade permanece por todas as gerações.” Salmo 100 (NVI).

No Salmo 50:23 nós lemos: “Quem me oferece sua gratidão como sacrifício, honra-me, e eu mostrarei a salvação de Deus ao que anda nos meus caminhos.” (NVI).

Em 1 Tessalonicenses 5:16-18 nós lemos: “Alegrem-se sempre. Orem continuamente. Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus par vocês em Cristo Jesus.” (NVI).

Em Hebreus 13:15 nós lemos: “Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome.” (NVI).

Segundo tipo de oração:
CONFISSÃO

Quando você aceita a Cristo todos os seus pecados são perdoados. O sacrifício de Cristo foi completo e perfeito. Entretanto, a prática regular da confissão dos nossos pecados a Deus, é a maneira pela qual nós tomamos consciência, tomamos posse do perdão de Deus para as nossas vidas.

É impossível manter uma vida cheia do poder do Espírito Santo sem um padrão consistente de confissão diária, arrependimento e tomada de consciência contínua de que somos perdoados.

De acordo com o Salmo 66:18 se falharmos na prática regular e sincera da confissão dos nossos pecados diante de Deus, faz com que as nossas orações sejam bloqueadas. O salmo diz: “Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria.” (NVI).

A confissão genuína dos nossos pecados faz parte de uma vida poderosa de oração. Foi por isso que Davi orou: “Sonda-me, ó Deus, e vê se em minha conduta algo te ofende.” Salmo 39:23-24.

É preciso ter cuidado aqui. É muito mais fácil reconhecer que há pecado na vida dos outros do que reconhecer que há pecado na sua vida.

Porque é tão difícil reconhecer os próprios pecados? É difícil porque as vezes é trata-se de um comportamento que já está incorporado ao nosso estilo de vida. Pode ser a manifestação de uma fraqueza do nosso caráter. As vezes, reflexo de um orgulho. Pode ser percebido com algo normal, como algo cultural, como algo que todo mundo faz. Tudo isto pode acabar nos confundindo e podemos levar adiante uma vida marcada pelo pecado mesmo tendo um coração cheio de boas intenções.

É por isso que você vai precisar fazer como Davi. Pedir a Deus que mostre para você. E quando você toma esta atitude, a Bíblia nos ensina que o “Espírito Santo que nos convence de todo o pecado” – João 16:8,9 – começa a agir em nossa vida.

A confissão é um recurso poderoso na vida de um cristão. Em Provérbios 28:13 nós lemos: “Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.” (NVI). Se você pecou contra alguém vai lá e confessa o seu pecado. Se você pecou contra Deus, ore e reconheça o seu pecado.

A Palavra de Deus diz que se você reconhece e confessa o seu pecado, Deus perdoa. Pode ser que ninguém perdoe você, mas Deus perdoa. Leia comigo: “Se confessarmos os nossos pecados Ele é fiel fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1 João 1:9 (NVI).

Terceiro Tipo de Oração:
PETIÇÃO

Com toda certeza a petição é o tipo de oração que mais usamos. É quando apresentamos a Deus nossas necessidades e anseios.

Há pessoas que não gostam de pedir nada para Deus. Acham que Deus não quer ser incomodado. Acham que está muito ocupado com muitas coisas mais importantes do que os nossos problemas e nossas necessidades.

Mas, a Bíblia nos ensina que Deus espera que nós apresentemos a Ele todas as nossas necessidades.

As palavras de Jesus em João 16:24 revelam o coração gracioso do Pai em relação a seus filhos: “Até agora vocês não pediram nada em meu nome. Peçam e receberão, para que a alegria de vocês seja completa.”

O problema não é que Deus não queira atender aos nossos pedidos, mas sim que Deus não atende a pedidos que sejam feitos fora da sua vontade, pedidos que contrariem os seus propósitos. A Bíblia diz: “Não conseguem nada porque não pedem a Deus. E, quando pedem, não recebem porque os seus motivos são maus. Vocês pedem as coisas a fim de usá-las para os seus próprios prazeres.” Tiago 4:2b,3 (NTLH).

Mas então como saber o que pedir, em que momento, como orar dentro da vontade de Deus? Acho que teríamos que dedicar uma série só para este assunto.

Mas, de um modo geral a resposta para esta pergunta é: quanto mais tempo você dedicar a Deus, quanto mais tempo você gastar com o Pai, mais você aprenderá a fazer petições que lhe trarão benefícios eternos.

Quanto mais você permitir que Deus dirija as suas petições, mais intervenções divinas você experimentará em sua vida.

Quarto Tipo de Oração:
INTERCESSÃO

É o tipo de oração no qual nós enfocamos as necessidades dos outros.

Interceder por alguém é estar na brecha como Ezequiel 22:30 menciona – “Procurei entre eles um homem que erguesse o muro e se pusesse na brecha diante de mim e em favor desta terra, para que eu não a destruísse, mas não encontrei nenhum.”

A passagem de Ezequiel descreve a intercessão por uma nação inteira na rebelião contra Deus. A intercessão é também o tipo de oração feita em favor de um crente relapso ou afastado e pela salvação de perdidos.

No entanto a intercessão não é só usada em favor das pessoas afastadas ou perdidas, é também de fundamental importância interceder por aqueles que estão na liderança do serviço do Senhor. Como por exemplo interceder pelo seu pastor. Interceder pelos missionários. Pelos líderes de ministério. Interceder pelos líderes dos Grupos de Convivência. Interceder pelos que ensinam a Palavra de Deus. Precisamos interceder por aqueles com necessidades físicas.

A intercessão é um tipo de oração muito abrangente, que cobre qualquer coisa, desde orar pela salvação de um perdido até rogar as bênçãos de Deus sobre um grande evangelista ou pastor. Deus ordenou que intercedêssemos em favor dos perdidos, pois essa é a maneira fundamental pela qual Ele trabalha para salvá-los e encher de poder a igreja.

Deus convoca todos os cristãos para interceder. Embora alguns sejam chamados de uma forma especial, nenhum crente pode dizer que a intercessão “não é a sua praia”. Todos os crentes têm que praticar pelo menos os níveis mais básicos de intercessão de forma regular. A Palavra de Deus diz: “Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graça por todos os homens…” – 1 Timóteo 2:1,2 (NVI).

Samuel, o grande profeta do AT compreendeu tão profundamente a importância da intercessão que entendia que deixar de interceder pelas pessoas era um pecado diante de Deus. Samuel disse: “E longe de mim esteja pecar contra o Senhor, deixando de orar por vocês.” 1 Samuel 12:23a (NVI).

Quinto Tipo de Oração:
MEDITAÇÃO

O ato de refletir na Palavra de Deus e ouvir de forma profunda e tranqüila a sua voz suave falar ao nosso coração, isto é meditação.

Se oração é relacionamento, então tem que haver diálogo. Um relacionamento saudável é sempre uma via de duas mãos.

No momento de oração, a meditação é o período em que você reflete sobre o que leu nas Escrituras e nas impressões que Deus lhe deu. Um excelente hábito é manter um diário de oração. Tentar fazer isso em 2007.

A meditação nos capacita a experimentar um relacionamento pessoal com Deus, o que contraria a idéia de que orar é apenas recitar uma lista de pedidos, ou de palavras bonitas.

Quando você ora, você fala com Deus, quando você medita, tendo a Palavra de Deus em sua mente, Deus é quem fala com você.

O Salmo 1:2 diz a satisfação do homem bem sucedido “está na lei do Senhor e nela medita de dia e de noite.” Salmo 1:2 (NVI).

Uma vida de oração poderosa, precisa reservar um tempo para ouvir a voz de Deus.

O salmista Davi praticava a meditação durante a noite. No Salmo 63:6 ele diz – “Quando me deito lembro-me de ti, penso em ti durante as vigílias da noite.” (NVI). Ainda no Salmo 119:148 Davi revela: “Fico acordado nas vigílias da noite, para meditar nas suas promessas.”

A verdade é que Deus fala mais com aqueles que conseguem aquietar o coração para ouvir a Sua voz. E saber ouvir a voz de Deus é a chave para se ter uma vida poderosa de oração.

Toda oração começa com o próprio Deus! Afinal, oração não é dizermos a Deus o que Ele deve fazer. Oração é descobrir o que Deus quer que façamos e nos juntarmos a Ele como colaboradores através da oração.

Quando você pratica a meditação, você aprende a ouvir a direção de Deus para sua vida, e, assim, nossas orações são geradas no coração e na mente d’Ele.

Conclusão:

E aí? Você tem exercitado, praticado os cinco tipos de oração na sua vida? Ou você está enfraquecido em algum tipo de oração?

Como está a sua adoração?
Como está a sua confissão de pecados?
Como estão as suas petições?
Como está a sua intercessão?
Como está a sua meditação?

Oração:
Ensina-nos a orar com sabedoria.

www.ilustrar.com.br – ilustre seu sermao.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

There is one comment

Contribua com sua opinião