Princípios para um ministério Eficaz

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

Se você estivesse para morrer, precisando deixar orientações de como as coisas deveriam transcorrer com a sua partida, que conselhos você daria?

Essa é a situação de Paulo. Está preso pela segunda vez em Roma, já enfrentou uma audiência preliminar na qual esteve praticamente sozinho, sabe que a morte é certa. Porém, precisa escrever a Timóteo que está em Eféso em uma situação difícil, a igreja está impregnada por muitas heresias, por falsos ensinos e falsos mestres. Ele quer que Tíquico, fique em Éfeso substituindo a Timóteo, na expectativa de que Timóteo possa viajar antes que o inverno o impeça.

Como não tem certeza, de que a viagem de Timóteo será bem sucedida, deseja orientar Timóteo a respeito de seu ministério a fim de que possa ser bem sucedido. A segunda carta de Paulo a Timóteo é cheia de encorajamento e de orientação. Algumas coisas o apóstolo Paulo quer deixar claro para Timóteo que apesar das inúmeras deserções que sofreu por parte de pessoas próximas a ele, também o fato de estar sendo preso e morrer por causa do Evangelho em nada o desalenta ou o faz amargurado, pelo contrário só deixa com a sensação de ter cumprido fielmente o seu ministério, de ter guardado a fé. Agora, apenas aguarda a coroa que há de receber do Senhor Jesus Cristo. Dessas muitas orientações, queremos destacar aqui apenas três que estão contidas no versículo que nós lemos e que esperamos sejam úteis na vida de Daniel e na vida de cada um de nós servos do Senhor.

1. Busque a aprovação de Deus.

Hoje, muitos têm desenvolvido ministérios voltados para os holofotes, para serem vistos e reconhecidos. Porém, de que vale o reconhecimento dos homens sem a aprovação de Deus. De que vale o sucesso diante dos homens sendo fracassado diante de Deus. A grande verdade é que cedo ou tarde esses ministérios são abalados porque construídos sobre a areia. Jimmy Suwwgart obteve um ministério de grande sucesso e uma queda vertiginosa. Jim Bakker, de um ministério rico e próspero, foi parar na prisão, para poder repensar toda a sua vida e ministério. Lembre-se quanto mais alto você tentar subir pelas suas próprias forças e para o seu próprio benefício, mais alto você cairá de lá. Mas se for o Senhor que o erguer, Ele te sustentará. Peça poder do Espírito Santo a Deus na mesma proporção em que Ele lhe der humildade para suporta-lo, peça conhecimento a Deus na mesma proporção da sabedoria para poder transmiti-lo.

2. Tenha uma vida santa.

A grande tragédia do cristianismo dos nossos é que não há uma relação direta entre o número de crentes e o aumento da justiça, da honestidade, da santidade, da ética da verdade. É triste ver que para muitos fora da igreja, templo é dinheiro, ministério é negócio, denominação é empreendimento. É triste ver que a palavra de um crente já não vale muito, que o título de pastor já não é símbolo de honestidade, verdade.

Por isso, viva uma vida que não envergonhe a sua igreja, que não envergonhe o evangelho, que não escandalize os pequeninos. Que você seja como Jó do qual se dizia: Jó 1:1 Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal. Do qual Deus possa dizer a satanás: Jó 1:8 Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal.

Que a sua integridade seja deleite para Deus, seja um assunto no céu.

3. Seja um pregador hábil.

Nos dias confusos em que vivemos, em que o diabo tenta confundir os fiéis com pessoas que imitam os dons do Espírito Santo de Deus; nesses dias em que a maneira do povo de Deus adorar está sendo imitada, mas misturada com idolatria; nesses dias em que as diferenças estão cada vez mais tênues. A pregação da Palavra de Deus há de fazer a diferença. Todos os grandes movimentos de reforma no meio do povo de Deus aconteceram com a redescoberta da Palavra de Deus. Foi assim no tempo do rei Josias, foi assim no tempo de Esdras e Neemias, foi assim no tempo de João Huss, foi assim no tempo de Lutero e Calvino.

O sentido de manejar bem aqui é o sentido de dar um corte apropriado. Tem o sentido de alguém que faz sulcos retos na terra para ara-la. Na linguagem moderna seria cortar uma estrada em linha reta.

Penso que para manejar bem a palavra, dar o corte apropriado, são necessárias duas coisas: profundidade e simplicidade. É preciso profundidade na Palavra e isso só se consegue com estudo e oração. É preciso ser guiado pelo Espírito Santo na compreensão da palavra. É preciso pedir ao Espírito Santo que seja o nosso guia na exploração das profundezas das minas das Escrituras, para que Ele nos mostre os veios por onde correm os tesouros preciosos, é preciso que ele nos oriente para que na bateia só deixemos as pepitas verdadeiras e de grande valor; para que não sejamos iludidos por ouro de tolo.

Porém não menos verdade é que precisamos nos afadigar no estudo. Nosso Deus é o Deus do impossível. Mas, os seus milagres, as suas intervenções sobrenaturais na história tinham propósito. Lembremos que para se deslocar de uma margem a outra de um lago Jesus usava um barco. Ele não andou todo o tempo sobre as águas.

Durante a peregrinação no deserto Deus fez brotar água da rocha e mandou o maná. Porém, assim que o povo pôde plantar e colher ele deixou de enviar o maná.

Por isso, para ser hábil na proclamação da Palavra de Deus é preciso estudo fatigante e incessante.

É verdade que haverá momentos em que a mensagem virá ao seu coração sem nenhum esforço, mas essa é a exceção, não é a regra.

Mas, manejar bem a palavra significa anuncia-la com simplicidade. É preciso proclamá-la para que seja entendida e praticada. O sumo da nossa mensagem é Cristo, e este crucificado, dizia Paulo.

É verdade que na tentação o diabo usou a palavra tentando a manipular; mas é verdade também que foi com a Palavra que Jesus desfez os argumentos de Satanás. A filosofia, a sociologia, antropologia, a filologia, são meros auxiliares não substituem a Palavra de Deus.

O povo poderá se extasiar com erudição e conhecimento, com elaborados raciocínios de lógica, mas quando a Palavra é pregada em sua simplicidade e poder o inferno treme, os demônios rugem, os pecadores se arrependem e os céus se alegram.

Por isso, para que o seu ministério seja bem sucedido:

Agrade a Deus, tenha a aprovação dele. Diga como Paulo: 1 Ts 2:4 pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração.

Viva uma vida de Santidade: Que Deus possa falar da sua retidão diante de homens e de anjos. Que a sua vida agrade o coração de Deus.

Pregue a Palavra com habilidade. Use a inteligência que Deus lhe deu para que a verdade triunfe sobre a terra; para que os sofismas e as heresias sejam soterradas, para que o inferno estremeça, os demônios se enfureçam, os pecadores se convertam e os céus cantem de júbilo.

Que Deus lhe abençoe.

Sermão pregado por ocasião de envio de um jovem ao Seminário.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião