Resistindo firmes à tentação

Resistindo firmes à tentação é o que iremos meditar neste sermão.

 “Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá o coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. ”,Tiago 1:12

Como ponto de partida, gostaria que encontrássemos o verdadeiro significado da palavra tentação:

– Impulso de fazer ou pegar algo atraente, mas que pode ser inconveniente.

– Pessoa, coisa ou situação que atraem irresistivelmente.

– É o desejo de realizar uma ação imediata e agradável, mas provavelmente prejudicial a longo prazo.

– Ato de coação (exercer força ou violência física ou mental em uma pessoa para forçá-la a

dizer ou fazer algo contra a sua vontade), por manipulação ou influência da curiosidade, desejo ou

medo de perda. No campo das religiões, refere-se à inclinação para o pecado.

Introdução:

          Uma das experiências mais traumáticas na caminhada cristã tem a ver com o fato de que, mais cedo ou mais tarde seremos tentados e, quando falamos em ser tentados, isso tem a ver com sermos provocados ou expostos a fazer o mal. Eis a diferença entre quem consegue e quem falha em seguir a Cristo, no serviço a Deus ou nas relações pessoais; e tudo porque, necessariamente, o sucesso ou o fracasso tem a ver com nossa firmeza, estabilidade e constância em nosso relacionamento com Deus, com o lugar que ocupa Cristo em nossas vidas, com a liberdade que o Espírito Santo tem para operar em nós e, finalmente, a influência da Palavra de Deus em cada um de nossos atos, ideias, critérios, pensamentos e emoções

I) O promotor: O Diabo

          Sendo absolutamente que o fato de ter influenciado a vida do primeiro homem e da primeira mulher, ao ponto que os levar à transgressão de um mandamento específico e que, consequentemente acarretaria não apenas em desgraça para a humanidade, mas para si mesmo; “E porei inimizade entre ti e a mulher e entre tua semente e a sua semente; este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. ” Gênesis 3:15.

          E sabendo que seu destino já estava selado para a eternidade, ele aproveita da vantagem momentânea que a situação lhe dá, usurpando a autoridade que o homem havia perdido, sobre a criação, em sua desobediência, e inicia um trabalho que até hoje contradiz o que foi feito e dito por Deus, contra quem Ele atentou, sendo ele removido de seu espaço de privilégio entre tantos anjos, arcanjos, serafins e querubins. “Filho do homem, levanta uma lamentação contra o rei de Tiro e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheio de sabedoria e formosura.
Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o topázio, o diamante, o berilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que foste criado, foram eles preparados. Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te reduzi a cinzas sobre a terra, aos olhos de todos os que te contemplam. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; vens a ser objeto de espanto e jamais subsistirás. ”
Ezequiel 28: 12–19.

          É, pois, que a partir de então contradiz tudo o que Deus propõe e dispõe, de modo que, valendo-se desta sabedoria original, embora corrompida pelo pecado, incita de maneira permanentemente à desobediência, rebelião, infidelidade e pecado literal.

          Ele conseguiu seu objetivo na mente de Caim, que matou seu próprio irmão por ciúme e inveja, sentimentos que ao longo dos anos iriam exercer uma influência desastrosa sobre as gerações futuras, até os nossos dias inclusive no seio da Igreja; “… coluna e baluarte da verdade” 1Timóteo 3:15.

          Ele semeou decadência e uma nefasta corrente de desobediência e pecado a ponto  que se perde a geração de Noé, exceto ele e sua família, (… Noé era varão justo e reto em suas gerações; Noé andava com Deus), Gênesis 6: 9.

          No entanto, e embora ele nunca tenha desistido de suas tentativas de destruição, violência e depravação da raça humana, ele teve que enfrentar o cumprimento da promessa divina, feita no Éden: A aparição e a revelação terrena de Jesus Cristo; “… Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29), pelo que ficou evidente que a mudança, baseada na obra da redenção, começava a brilhar como uma luz no escuro, do humano, do tenebroso do mundo natural e espiritual, daí a validade da síntese de Cristo; O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância ”, João 10:10.

          Por isso era esperado que o inimigo de nossas almas, desde o início do ministério de Jesus, tentasse medir forças e conter o imparável; e assim ele se apresenta para exercer, na humanidade e divindade do Senhor, usando o recurso que lhe dera tão bons resultados e continua dando com a humanidade,  seja cristão ou não, desde as origens do mundo, mas ele não esperava sua primeira e desastrosa  derrota; “Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto, durante quarenta dias, sendo tentado pelo diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome. Disse-lhe, então, o diabo: Se és o Filho de Deus, manda que esta pedra se transforme em pão. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem. E, elevando-o, mostrou-lhe, num momento, todos os reinos do mundo. Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto. Então, o levou a Jerusalém, e o colocou sobre o pináculo do templo, e disse: Se és o Filho de Deus, atira-te aqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Dito está: Não tentarás o Senhor, teu Deus. Passadas que foram as tentações de toda sorte, apartou-se dele o diabo, até momento oportuno. ” Lucas 4: 1-13

II) Os afetados: O ser humano

          Imagine que, desde o início dos tempos, Satanás, nosso maior adversário, valendo-se da debilidade humana, tentou nossos pais a desobedecer, e das consequências de tal queda, é melhor não falar! Meu desejo, é incentivar teu coração e fortalecer tua vida, para que, quando a tentação bater à porta da sua existência, tenha o conhecimento, a convicção e a coragem de pensar como José, (filho de Jacó), e agir adequadamente, além do contexto de rejeição e venda por seus irmãos, dado por morto, enganosamente, por seus pais, porque seu temor reverente a Deus não admitiu que desobedecesse os preceitos e mandamentos divinos; “Aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pôs os olhos em José e lhe disse: Deita-te comigo. Ele, porém, recusou e disse à mulher do seu senhor: Tem-me por mordomo o meu senhor, e não sabe do que há em casa, pois tudo o que tem me passou ele às minhas mãos. Ele não é maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porque és sua mulher; como, pois, cometeria eu tamanha maldade e pecaria contra Deus? Gênesis 39: 7-9, assim podemos ver que não devemos necessariamente cair na teia do inimigo, ele nos pode tentar provocar, perseguir, assediar, armar armadilhas em todos os lugares, mas sabemos bem “onde estão firmados os nossos pés”, e não apenas isso, mas temos muito claro em quem temos crido, quem nos livra e nos livrará de todo mal.

          Voltando um pouco, a princípio observamos que, após a queda de seus pais, há um Caim envolto em uma conspiração de dor, vergonha, ciúme e inveja, que não hesitou em matar seu próprio irmão, e tudo por quê? Ele simplesmente não possuía, ou perdeu ou jamais teve, “o controle”, e mais uma vez nosso adversário demonstra que quando encontra uma pessoa sem valores espirituais que são parte da natureza, personalidade e caráter de um verdadeiro filho ou servo de Deus, é então quando ele usa a fraqueza humana para arrastá-lo ao pecado, violência, desobediência e rebelião contra a autoridade divina, apesar de Deus ter avisado, a exemplo dos dois irmãos, filhos da mesma mãe, para a tragédia com um triste fim anunciado; “Então, lhe disse oSenhor: Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante? Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo. Disse Caim a Abel, seu irmão: Vamos ao campo. Estando eles no campo, sucedeu que se levantou Caim contra bel, seu irmão, e o matou. Disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: Não sei; acaso, sou eu tutor de meu irmão? Gênesis 4: 6-9

III) O interventor: Deus

          É precisamente Deus quem lidera a fim de “cortar” as ações excessivas de seu adversário,  de tal forma que, em Jesus o inimigo descobre que a mudança produzida por Deus começa a dar frutos.

          Com o ministério de Jesus Cristo, e mais tarde com o da Igreja do primeiro século, quem detinha poder e influência no mundo, começa a ver que isso está se diluindo e escapando de suas mãos. Agora seus demônios ou “força de choque” começam a recuar, dando espaço à influência de Cristo, do seu Espírito Santo, das Escritura e da Igreja, porque é composta daqueles que antes estavam sob o seu jugo e agora estão sob o Senhorio de Jesus, vivendo em fé, obediência e santidade; “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade a carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” Efésios 2: 1-9.

          Caso contrário, não haveria possibilidade de liberdade ou escape; O Criador soberano de todas as coisas agindo e produzindo abertura no mundo espiritual, mostra-nos que “…Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.”, João 3: 16-17

          Permitiu que as prisões fossem abertas; “… Subindo alto, ele levou cativeiro o cativeiro, e deu dons aos homens. ”, Efésios 4: 8. Para cumprir o que foi dito pelo Mestre; “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.” Lucas 4: 18-19

Conclusão:

          É por isso que encorajo teu coração a se curvar ao bem, ao que tem a ver com o mundo ou com a esfera de Deus, não se deixe arrastar pela sua natureza pecaminosa: “Não se deixem vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem. ” Romanos 12:21, (NVI), Depende absolutamente da soberania e graça de Deus, que também manifesta nossa limitação, mas, neste caso, bem orientada “… porque Deus é o que opera em vós tanto o querer quanto o efetuar, por sua boa vontade “. Filipenses 2.13

          E você verá que pode ser um vencedor, porque a vitória não será o resultado do que faça, busque ou obtenha, mas da fé que te faz abraçar a obra e o resultado da cruz; “Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus; nem ainda para se oferecer a si mesmo muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no Santo dos Santos com sangue alheio. Ora, neste caso, seria necessário que ele tivesse sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; agora, porém, ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado. E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação. ” Hebreus 9: 24-28.

Aplicação:

          Tudo o que devemos saber e em que devemos crer, Cristo nome sem igual, nome que nos dá liberdade suficiente e necessária para sermos e sentirmos, mais do que vencedores. Honremos, veneremos, adoremos, louvemos e exaltemos este Nome, porque nos deu uma vida diferente, sem relação com o pecado, o mundo e à carne. Descobrindo, desta maneira, que podemos ser tão santos quanto nosso Pai, que está nos céus. E cada vez parecermos mais e mais à sua imagem e semelhança.

          Portanto, meu amigo e minha amiga, confie na verdade que o apóstolo Paulo expressa quando ele diz: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” 1 Coríntios 2:13

Ramón Verón

http://www.iglesiareformada.com/
Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

There is one comment

Contribua com sua opinião