Um coração sábio

Quero pedir licença e desculpa a todos vocês, mas hoje vou escrever para uma única pessoa, alguém muito especial em minha vida, a minha filha Rebeca que está fazendo 15 anos. O tempo passou filha! Parafraseando Caetano Veloso: “Eu vi a mulher preparando outra pessoa e o tempo parou para eu olhar para aquela barriga. Eu vi uma menina correndo, eu vi o tempo brincando ao redor do caminho daquela menina”! Hoje o tempo sopra forte no seu rosto, ainda meio menina e a passos largos para se tornar mulher, com a oportunidade do futuro. O que vem pela frente agora são as coisas mais importantes de sua vida, porque é a história que você vai viver por você mesma, suas escolhas e construção: a profissão, o homem que vai amar, os filhos que terá, onde vai viver, o que vai fazer da sua vida, quem você será como pessoa, etc…

Minha querida, você cresceu e precisa saber que o tempo não para, na verdade ele corre igual para todo mundo, mas o ritmo das coisas vai depender do momento que você vai estar vivendo em sua vida. Quando a vida está carregada de sentido, de significado, de conteúdos claros, de felicidade, o tempo parece voar, a vida rola solta. Mas quando a vida dói, quando tudo fica estranho, quando as coisas perdem o sentido, o tempo demora passar e a vida parece se arrastar. O problema minha filha é que os momentos de significados e sentidos, bem como, os momentos de dor, em grande parte das vezes, é fruto de nossas escolhas e da forma como vivemos a vida. Por isso, se pudesse gostaria de lhe dar um presente para o resto de sua vida: a sabedoria para você lidar com os tempos que vêm pela frente em sua vida, mas não posso porque ter sabedoria só depende de você. Porém, como disse Moisés, sabedoria pode ser aprendida: “Ensina-nos a contar os nossos dias para que alcancemos coração sábio.” (Salmo 90:12). Se não posso torná-la sábia, posso pelo menos, compartilhar alguns princípios que te ajude a construir uma percepção da vida melhor, capaz de contar os seus dia com coração sábio.

Primeiro – Valorize cada tempo de sua vida. “Somos como um sono, como a relva que floresce de madrugada; de madrugada; viceja e floresce; à tarde murcha e seca; porque tudo passa rapidamente e nós voamos” (Salmo 90:5-6,10). Viva a vida, aproveite bem cada tempo e oportunidade que a vida te dá, porque tudo na vida passa, muda, viceja e seca. Essa é uma realidade estranha da vida, mas que isso não lhe torne numa pessoa afoita, ansiosa, inconseqüente que se precipita de qualquer jeito em tudo, porque já que vai passar, você precisa viver o máximo de experiências possíveis. Minha filha, a vida é curta de mais pare se perder tempo com dores desnecessárias. Por outro lado, que essa realidade não lhe transforme em alguém reprimida, medrosa, incapaz de se lançar com coragem ao encontro com as experiências da vida, porque não que errar, não quer sofrer. Tão somente saiba que nossa vida é como um breve pensamento, então seja responsável com o que você quer viver: não diga sim a tudo, mas também, não diga não a tudo. Se somos como a erva, então vivemos para exalar perfume, escolha os perfumes que você quer exalar, faça a sua vida valer a pena para você e para alguém. Perfume!

Segundo – Seja realista na sua visão do mundo: “Pois somos consumidos pela tua ira e pelo teu furor conturbados. Diante de ti puseste as nossas iniqüidades e, sob a luz do teu rosto, nossos pecados ocultos” (Salmo 90:7-8). Não vivemos num mundo ideal e nós também não somos pessoas ideais. Minha filha, essa é a condição humana na história: a possibilidade da ira, da fúria, da conturbação, da iniqüidade, da culpa, da obscuridade que habita-nos. Isso significa que precisamos conduzir a vida com uma visão realista da condição em que vivemos. Ou seja, essa visão não pode ser romântica e nem pessimista, não pode ser otimista e nem pode ser depressiva. Visão realista é a capacidade de lidar com as coisas como são, é enfrentar a vida do jeito que ela se apresenta diante de nós, sem fuga, sem escapismos, mas conscientes de que se a vida, nós e o mundo não são ideais, ainda assim dá para viver e fazer alguma coisa de bom. Isso significa a possibilidade de encontro e desencontro, de riso e de choro, de acerto e erro, de cometerem iniqüidade contra nós e nós contra os outros, de sentir alívio e de sentir culpa. Quanto mais realista você for, melhor vai enfrentar a sua vida sem se cansar dela.

Terceiro – Creia na experiência com a compaixão divina: “Tem compaixão dos seus servos. Sacia-nos de manhã com a tua benignidade para que cantemos de júbilo e nos alegremos todos os nossos dias” (Salmo 90:13-14). Por fim, minha filha, se você for depender da própria vida para encontrar razão e alegria de viver, certamente vai ficar difícil. A vida em muitos momentos não possui qualquer razão, qualquer lógica, qualquer motivação. Por isso, precisamos da fé capaz de vazar a vida com uma outra realidade, a da compaixão divina. Seja qual for o tempo em que você estiver vivendo, não se esqueça nunca, a graça de Deus está sempre disponível, a seu alcance. A compaixão afirma um Deus capaz de dar meia volta na vida, de vir ao encontro.

Deus abençoe você.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião